Leitor de feeds

O que acontece na FIV?

Fertilidade - qui, 09/24/2020 - 17:22

Diferentes combinações de medicamentos de fertilidade podem ser usadas na fertilização in vitro. Seu médico irá explicar os benefícios, riscos e efeitos colaterais de cada tratamento e avaliar seu risco individualmente antes de decidir quais medicamentos oferecer.

Pré-tratamento

Podem ser oferecidas as pílulas de contracepção oral ou  progestágenio antes da fertilização in vitro. Isto torna mais fácil a programação do início do tratamento. Tomar a pílula, desta forma, não significa que você estará menos propensa a ter um bebê.

Passo 1: Retroação negativa dos ovários

Dependendo do tipo de tratamento que você está fazendo, pode ser indicado à você medicamentos chamados agonistas do hormônio liberador de gonadotrofina para ‘desligar’ a produção de óvulos nos seus ovários. Esses medicamentos tornam os ovários mais receptivos às gonadotrofinas que são usadas mais tarde para estimular os ovários a produzirem óvulos. Retroação negativa não é o único método usado para controlar seu ciclo na FIV. Seu médico deve explicar qual opção seria mais adequada para você.

Passo 2: estimulação ovariana

Estimulação ovariana envolve tomar hormônios para ajudar os seus ovários a produzirem mais de 1 óvulo por vez . Gonadotrofinas são usadas para estimular os ovários a produzirem óvulos adicionais na FIV. Esses são os mesmos medicamentos que podem ser usados para ajudar a produzir óvulos se você não ovula normalmente. É realizado monitoramento ultrassonográfico para acompanhar o crescimento dos folículos.

Passo 3: Coleta de óvulos

Os óvulos são coletados através de uma agulha, guiada através da sua vagina pelo ultrassom. O procedimento é realizado sob sedação e acompanhamento do anestesista.

Passo 4: Obtenção de esperma

No mesmo dia da coleta de óvulos o seu parceiro colherá o sêmen por meio de masturbação, este será processado e os espermatozóides serão utilizados para fertilizar os óvulos em laboratório.
Se por qualquer problema o homem não ejacula, estes espermatozóides podem ser retirados através de punção cirúrgica.

Passo 5: fertilização dos óvulos

Uma vez que óvulos e espermatozoides foram coletados, eles são colocados juntos em laboratório e incubadora para que ocorra a fertilização, outra técnica existente é a injeção dos espermatozóides no citoplasma do óvulo. Os embriões resultantes são mantidos em incubadora de 3 até 6 dias antes de serem colocados no útero da mulher.

Passo 6: transferência dos embriões

Colocar mais de 1 embrião no seu útero aumenta suas chances de engravidar, mas também aumenta o risco de gravidez múltipla. Seu médico deve ter certeza de que você está ciente desse risco. Você não deve ter mais de 3 embriões transferidos de uma só vez.
A decisão da transferência de 1 ou 2 embriões baseia-se na sua idade, na qualidade dos embriões, e se você teve ciclos de fertilização in vitro sem sucesso anteriormente. Mulheres mais jovens geralmente têm embriões de melhor qualidade. Isso melhora as chances de gravidez. Se você estiver usufruindo de doação de óvulos você deverá considerar a idade da doadora ao invés da sua idade, isso será usado para ajudar a julgar a qualidade do embrião.
A tabela abaixo oferece um guia para quantos embriões devem ser transferidos, com base na sua idade (ou da sua doadora de óvulos).

O médico utiliza o  ultrassom para guiar o posicionamento do embrião no seu útero. Você não precisa ficar na cama por muito tempo depois que o embrião for transferido, já que isso não mostrou fazer qualquer diferença na chance de gravidez.

Congelamento de embriões depois da FIV

Embriões excedentes deverão ser criopreservados e podem ser utilizados pelo casal quando decidirem por outra gestação.

Um embrião que está congelado pode ser descongelado e transferido para o seu útero, como parte de seu ciclo natural ou como parte de um ciclo controlado por tratamento hormonal. Se você ovular regularmente, suas chances de uma gravidez bem-sucedida após transferência de embriões descongelados são semelhantes se seu ciclo é natural ou estimulado.

O post O que acontece na FIV? apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categorias: Medicina

Fertilização in vitro

Fertilidade - qua, 09/23/2020 - 17:36
Vamos direto ao assunto?

Fertilização in vitro (FIV) é um dos principais métodos utilizados para ajudar as pessoas a engravidarem. O tratamento começa com a estimulação dos ovários e inclui a coleta de óvulos e esperma, fertilizando os óvulos fora do corpo da mulher, e colocando 1 ou 2 dos embriões no útero.

O que é um ciclo completo de FIV?

Um ciclo de fertilização in vitro é um em que 1 ou 2 embriões produzidos a partir de óvulos recolhidos após estimulação ovariana são recolocados no útero como embriões frescos (se possível), com quaisquer embriões restantes de boa qualidade sendo congelados para serem usados mais tarde . Quando estes embriões congelados são usados mais tarde, isto ainda é considerado como parte do mesmo ciclo.

Quais são as minhas chances de ter um bebê com FIV?

Para as mulheres, a chance de sucesso com a fertilização in vitro  depende em parte de sua idade. Quanto mais idade, menos provável de ter um bebê.

O tabagismo e o uso exagerado de bebidas alcoólicas diminuem a chance da Fertilização dar certo.Tratamento com fertilização in vitro também é mais eficaz para as mulheres que tem um IMC entre 19 e 30. Para as mulheres, ingerir bebidas com cafeína também diminui suas chances de sucesso através da fertilização in vitro.

Quem deve ser indicada para FIV?

A indicação de FIV é variável de acordo com as causas de infertilidade de cada casal.

Se a fertilização in vitro é um tratamento possível para você, seu médico especialista primeiro deve te explicar sobre os riscos e benefícios da FIV, de acordo  com o código de ética e de práticas das sociedades de reprodução humana e legislação brasileira.

Leia também:

O post Fertilização in vitro apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categorias: Medicina

Tratamentos para mulheres

Fertilidade - ter, 09/22/2020 - 16:01

Se os seus ovários não estão produzindo óvulos normalmente você deve ser indicada para tratamento para estimulá-los a produzir óvulos. Isso é conhecido como indução de ovulação. O tipo de tratamento que você precisa irá depender do que está causando o problema.

Síndrome dos ovários Policísticos

Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) é uma condição comum onde seus ovários contêm mais óvulos que o normal, mas você não ovula regularmente.

Síndrome dos ovários policísticos e perda de peso

Se você tem síndrome dos ovários policísticos e você é obesa (seu IMC é de 30 ou acima), perder peso pode reiniciar a ovulação e melhorar as suas chances de engravidar sem precisar de nenhum tratamento adicional. Se você precisar tomar medicamentos de fertilidade, perder peso irá melhorar como seus ovários respondem à esses medicamentos.

Se você tem síndrome de ovários policísticos devem ter sido oferecidos medicamentos chamados citrato de clomifeno ou metformina para ajudar você a começar a ovular. Você pode ter recebido um desses medicamentos ou ambos juntos. Se você está tomando citrato de clomifeno, você deve tomar por um máximo de 6 meses para ver se ele irá ajudar. Mas o uso dessas medicações deve ser acompanhada por especialista em reprodução humana.

Se lhe for oferecido tratamento com metformina, seu médico deverá explicar que isso pode causar efeitos adversos, como náusea, vômitos ou outros sintomas digestivos.

Citrato de clomifeno e metformina não funcionam para todo mundo e não devem ser tomados sem acompanhamento especializado. Se eles não ajudarem, você será indicada a fazer tratamento com gonadotrofinas. No entanto, seu médico deve explicar o risco aumentado de gestações múltiplas e síndrome de hiperestimulação ovariana antes que você decida iniciar esse tratamento (veja riscos dos medicamentos de fertilidade).

Um tratamento alternativo para a síndrome dos ovários policísticos é a chamada perfuração ovariana laparoscópica, que é um procedimento cirúrgico que envolve um anestésico geral e uma laparoscopia. Isso pode funcionar tão bem quanto o tratamento com gonadotrofinas, mas não precisa de monitoramento por ultrassom e não aumenta o seu risco de gestações múltiplas.

Seu médico deve falar mais sobre os riscos, benefícios e efeitos adversos de todos esses tratamentos para síndrome de ovários policísticos e métodos de indução de ovulação antes de você decidir tentá-los.

Riscos dos medicamentos de fertilidade

Gestações Múltiplas

Indução de Ovulação usando gonadotrofinas ou citrato de clomifeno aumenta a sua chance de engravidar com mais de um bebê (uma gravidez múltipla). Gestações múltiplas carregam riscos de saúde maiores para você e seus bebês. Os bebês são propensos a serem prematuros e terem baixo peso ao nascerem. Para reduzir o risco de gestações múltiplas, sua resposta a esses medicamentos deve ser monitorada por ultrassom durante o tratamento.

Síndrome de Hiperestimulação Ovariana

Existe um risco de que os seus ovários ‘hiper reajam’ aos medicamentos de fertilidade, mais conhecido como síndrome de hiper estimulação ovariana. Sintomas leves, incluindo inchaços e náuseas, são relativamente comuns, mas síndromes severas de hiper estimulação ovariana pode ser uma condição séria. Você deve ser monitorado por ultrassom para essa condição durante sua indução de ovulação.

Segurança a longo prazo na indução de ovulação

Não são conhecidos quaisquer riscos para a saúde (incluindo riscos de câncer) diretamente associados com o uso de medicamentos de fertilidade para indução de ovulação em mulheres ou em crianças nascidas como resultado do tratamento. No entanto, mais pesquisa é necessária para a segurança a longo prazo. Seu médico deve dar a você informações atualizadas de segurança antes que você comece o seu tratamento. Eles devem também limitar as medicações usadas na indução de ovulação para a dose efetiva mais baixa e ao período de utilização.

Outros distúrbios de ovulação

Se você tem um distúrbio de ovulação com baixos níveis de hormônios gonadotróficos e você tem baixos níveis de estrogênio (o hormônio sexual feminino), isso é muitas vezes devido ao baixo peso corporal ou quantidades excessivas de exercícios. Aumentando seu peso corporal (se o seu IMC é abaixo de 19) e diminuindo os seus exercícios pode ser o suficiente para reiniciar a ovulação. Para ajudar você a ovular, podem lhe ser oferecidas gonadotrofinas, ou um tratamento chamado hormônio liberador de gonadotrofina pulsátil, no qual o medicamento é dado gradualmente através de uma bomba para imitar a entrega natural de gonadotrofinas pelo corpo.

Se você tem um distúrbio chamado hiperprolactinemia deve lhe ser oferecido tratamento com um tipo de medicamento conhecido como agonista da dopamina, como a bromocriptina. Seu medico deve discutir com você a segurança dos agonistas da dopamina para mulheres que pretendem engravidar.

Se as duas trompas de falópio estão bloqueadas

Se você tem trompas de falópio bloqueadas, pode ser oferecido a você cirurgia para corrigir se o bloqueio não for grave.

Se as suas trompas de falópio estão bloqueadas e inchadas (uma condição conhecida como hidrossalpinge), deve ser oferecido à você a escolha de ter suas trompas removidas através da laparoscopia antes da FIV. Isso aumenta as suas chances de uma gravidez bem-sucedida através da FIV, mas isso significa que você nunca será capaz de conceber naturalmente no futuro.

Endometriose

Endometriose é uma condição onde as células como as do revestimento do útero são encontradas em outras áreas da pélvis. Endometriose pode causar dor e pode causar dano às trompas de falópio e aos ovários. A endometriose pode ser leve, moderada ou severa.

Se você tem uma laparoscopia que mostra que tem endometriose, pode ser indicado operação para remover ou destruir a endometriose e aumentar as suas chances de engravidar. Depois dessa cirurgia você não deve passar por tratamentos com hormônios porque isso não ajudará a sua fertilidade.

Seu médico pode lhe dar mais informação sobre opções de tratamento de fertilidade se você tem endometriose moderada ou grave. Se você tem endometriose leve, deve tentar engravidar através de relações sexuais regulares por um total de 2 anos (isso pode incluir 1 ano de tentativas antes de você fazer seus exames de fertilidade). Se você não engravidar depois desse período, provavelmente será indicada a FIV.

O post Tratamentos para mulheres apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categorias: Medicina

Tratamentos para homens

Fertilidade - seg, 09/21/2020 - 17:49

Baixa contagem de esperma ou esperma de baixa qualidade

Se os exames descobrirem que a sua contagem de esperma está baixa ou que o esperma é de baixa qualidade, você e o seu parceiro devem continuar tentando engravidar através de relações sexuais regulares e sem proteção porque ainda é possível que você engravide naturalmente. Depois de tentar por um total de 2 anos (isso pode incluir 1 ano de tentativas antes que você faça seus exames de fertilidade) será oferecido a você a fertilização in vitro (FIV). Obviamente outros fatores, como idade e presença de fatores identificados pedem a intervenção pelo especialista em infertilidade antes.

Outras condições

Se você tem um bloqueio no fluxo de esperma dos seus testículos, lhe será oferecida a cirurgia para remoção dos bloqueios. Alternativamente poderá lhe ser oferecido um procedimento chamado recuperação cirúrgica de esperma. O esperma que for coletado é então usado na FIV.

Se você não é capaz de ejacular, existem tratamentos que podem ajudar você e melhorar a sua fertilidade. Alternativamente, pode lhe ser oferecida a recuperação cirúrgica de esperma e FIV.

Se você tem baixos níveis de gonadotrofinas (hormônios que estimulam a produção de esperma) você deverá receber tratamento com drogas gonadotróficas para ajudar a melhorar a sua fertilidade.

Tratamentos que não devem ser indicados

Não há evidências científicas suficientes de que qualquer um dos tratamentos abaixo possa melhorar a fertilidade:

  • Cirurgia para veias varicosas no escroto (conhecidas como varicoceles)
  • Tratamento antibiótico para glóbulos brancos no seu sêmen
  • Esteroides para anticorpos anti esperma
  • Tratamento com gonadotrofinas ou outras drogas de fertilidade para problemas com esperma que não possuem causa conhecida.

O post Tratamentos para homens apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categorias: Medicina

Infertilidade Inexplicável

Fertilidade - seg, 09/21/2020 - 16:22

Se você tiver infertilidade inexplicável (esterilidade sem causa aparente), isso significa que não foram encontradas razões clínicas na sua avaliação para os seus problemas de fertilidade. Isso não significa que não há chances de engravidar, mas sim que a abordagem e tratamento podem ser diferentes. Você pode se sentir ansiosa para testar o uso de medicamentos de fertilidade, mas poderá não ser beneficiada com o uso de citrato de clomifeno (ou outros medicamentos de fertilidade tomados via oral) porque não foi comprovado que melhora as chances de gravidez comparado a tentar ter um bebê naturalmente.

Se você tem tentado engravidar através de relações sexuais desprotegidas regularmente por um total de 2 anos (isso pode incluir 1 ano de tentativas antes de você fazer seus exames de fertilidade) e ainda não conseguiu engravidar, você pode ser indicada para a fertilização in vitro FIV.

O post Infertilidade Inexplicável apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categorias: Medicina

HIV, hepatite B e hepatite C no tratamento da Infertilidade

Fertilidade - seg, 09/21/2020 - 15:26

Se você ou o seu parceiro já sabe que tem HIV, hepatite B ou hepatite C, você deve receber ajuda e aconselhamento de um especialista para engravidar.

Casais onde o homem é HIV positivo

Para um homem que é HIV positivo é possível para ter um filho com uma mulher HIV-negativo através de relações sexuais desprotegidas sob circunstâncias específicas.

Se você está tomando medicamentos para HIV conhecidos como HAART (terapia anti-retroviral de alta eficácia) o risco de infecção durante a relação é baixo, desde que todas essas condições sejam atendidas:

  • Você esteja tomando seus medicamentos para HIV corretamente.
  • Exames de sangue mostrem que o vírus não foi detectado (conhecido por ter uma carga viral indetectável) no seu corpo pelos últimos 6 meses.
  • Você não tem outras infecções.
  • Relações sexuais desprotegidas devem ser limitadas ao momento do mês em que a mulher está ovulando e orientadas pelo médico especialista. Veja coito programado. Seus médicos podem ajudar você a determinar os melhores dias para tentar.
  • Não tente sem a orientação e expressa autorização do médico.

É muito importante continuar a usar proteção durante as vezes em que você não está tentando engravidar, para minimizar o risco de passar a infecção.

Se o vírus for detectado no seu sangue, provavelmente não está tomando seus medicamentos para HIV corretamente, ou, se você e o seu parceiro não querem ter relações sexuais desprotegidas, ao invés disso pode ser indicado a “lavagem de sêmen”. Isso envolve separar o espermatozoide do sêmen, o que reduz a chance de transmissão porque o HIV é carregado pelo sêmen. O espermatozoide é então usado para inseminação intra-uterina ou FIV.

Se você puder atender à todas as condições na lista acima, a “lavagem de esperma” pode não reduzir mais o risco de infecção do HIV – pois nunca é possível garantir que o esperma está completamente livre do vírus. A “lavagem de sêmen” pode também reduzir a probabilidade de engravidar se comparada com a concepção natural.

Atendendo a todas as condições da lista acima, o NICE (National Institute for Health and Care Excellence) também não recomenda usar a “profilaxia pré-exposição”, no qual mulheres HIV‑negativas tomam medicamentos anti-retrovirais para reduzir o risco de adquirir o vírus antes de ter relações desprotegidas com um homem que é HIV positivo. Isso é devido à não estar comprovado que haja ainda mais redução no risco de infecção.

Antes de você tomar quaisquer decisões sobre tentar engravidar, tenha uma conversa com ambos os especialistas em HIV (Infectologista) e em Fertilidade.

Casais onde um dos parceiros tem hepatite B

Hepatite B é um vírus que pode infectar e danificar o fígado. Se um de vocês tem hepatite B, seu parceiro pode se beneficiar tomandor a vacina contra Hepatite B, porque a doença pode ser passada através de relações sexuais desprotegidas. Para os homens com hepatite B, não precisa ser indicada a “lavagem de sêmen” antes de fazer um tratamento para fertilidade.

Casais onde o homem tem hepatite C

Hepatite C é outro tipo de vírus de hepatite que também infecta o fígado. Em casais onde o homem tem hepatite C e a mulher não, o risco de infectar o seu parceiro durante as relações sexuais desprotegidas é considerado baixo. No entanto, você deve ter a oportunidade de falar com ambos os especialistas em fertilidade e em hepatite antes de tomar qualquer decisão sobre tentar engravidar. Para os homens, isso deve incluir falar sobre as opções de tratamento para eliminar o vírus do seu corpo.

O post HIV, hepatite B e hepatite C no tratamento da Infertilidade apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categorias: Medicina

O que você deve esperar dos seus cuidados

Fertilidade - sex, 09/18/2020 - 16:36

Aconselhamento

Durante seus cuidados e tratamento, sua equipe de saúde deve lhe dar informações (incluindo informações escritas) sobre problemas de fertilidade e tratamentos para ajudar você a tomar decisões informadas. Qualquer investigação dos seus problemas de fertilidade deve ocorrer em um ambiente que permita discutir questões delicadas, como abuso sexual, se você quiser. Por isso o consultório médico do especialista é o local ideal.

Se você e o seu parceiro estão tendo dificuldade de engravidar, quaisquer decisões que você tomar sobre as investigações e tratamentos irão afetar ambos. Vocês devem, portanto, ser vistos juntos sempre que possível. A avaliação clínica inicial é uma consulta com o casal.

Se você for diagnosticada com um problema de fertilidade, você deve ser tratada por uma equipe de especialistas. Você também deve receber informações sobre grupos de apoios adequados que você pode achar útil contatar.

Aconselhamento

Você deve ter a oportunidade de ver um conselheiro antes, durante e depois de qualquer exame e tratamento que você tiver, independentemente se o tratamento foi bem-sucedido. O conselheiro deve ser alguém que não está diretamente envolvido na administração do seu tratamento, e, frequentemente é o seu ginecologista de confiança, mas também pode ser o clínico da família. Ele deve conversar e ajudar você a pensar sobre o que os seus problemas de fertilidade e o seu tratamento significam para você. Problemas de fertilidade, investigações e o tratamento em si podem ser estressantes, então, por isso, pode ajudar conversar com alguém sobre seus sentimentos sobre o futuro, independente da resposta do seu tratamento em permitir que você tenha um bebê.

O post O que você deve esperar dos seus cuidados apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categorias: Medicina

Conheça os riscos do consumo excessivo de energéticos

Vascular Pro - sex, 09/18/2020 - 15:51

Muitas pessoas têm o costume de consumir energéticos para ficarem acordadas por um longo período. Elas podem fazer isso para aproveitar uma festa, por exemplo, e até mesmo para não dormir no trabalho ou em uma aula.

Se você já consumiu esse tipo de bebida ou presenciou outras pessoas consumindo, sabe que o energético é capaz de melhorar a disposição de certos indivíduos. Mas, é importante tomar cuidado com a ingestão dessa bebida, pois o consumo excessivo de energéticos pode trazer vários riscos para a saúde.

Para que você saiba quais são as consequências de consumir energéticos em excesso, agora vamos listar os principais riscos dessa ação.

Quem pode tomar energético

Antes de listar quais são os riscos de consumir em excesso essa bebida, é essencial lembrar que a ingestão de energético não é recomendada para determinados grupos de pessoas.

Indivíduos que devem evitar o consumo de energético em qualquer quantidade são: gestantes, idosos, crianças e quem possui alguma enfermidade, como hipertensão, diabetes ou problemas cardíacos.

Eles não devem consumir a bebida, porque as substâncias presentes nela podem causar danos mais graves para esses organismos. Pessoas hipertensas, por exemplo, podem elevar a pressão arterial ao tomar muito energético, pois esse possui uma alta quantidade de cafeína. Ou seja, mesmo consumindo uma pequena quantidade da bebida, elas podem correr um grande risco.

Sendo assim, se você faz parte de algum dos grupos citados acima, evite tomar energéticos.

Riscos do consumo excessivo de energéticos

Caso você não faça parte dos grupos que devem evitar a ingestão da bebida, pode tomá-la de forma esporádica. Verifique, agora, quais são os riscos de consumi-la excessivamente para lembrar-se de não ingerir mais do que o recomendado.

Energético possui muita cafeína

A cafeína estimula o sistema nervoso central e, assim, faz com que as pessoas se sintam mais dispostas e alertas. Por isso, esse é um ingrediente que está presente em grande quantidade em praticamente todas as bebidas energéticas.

Apesar de cumprir o objetivo de manter o consumidor acordado por mais tempo, ingerir cafeína em excesso não faz bem para a saúde.

Quando consumida excessivamente essa substância prejudica a saúde, porque pode desidratar o organismo e ainda intoxica-lo, causando náuseas, tremores, aumento da frequência dos batimentos cardíacos e insônia.

Lembre-se de que isso não significa que você deve cortar totalmente a cafeína de seu cotidiano. Mas, como em excesso ela é prejudicial à saúde e o energético concentra uma alta quantidade da substância, esse tem que ser consumido moderadamente.

Há diversos estimulantes no produto

Além da cafeína, um energético possui mais estimulantes em sua composição, como guaraná, taurina, açaí, creatina, entre outros. Eles ajudam a pessoa a manter a disposição, mas assim como a cafeína, também são prejudiciais quando consumidos em excesso.

Se forem ingeridos em grande quantidade, esses estimulantes também podem causar irritabilidade, ansiedade, insônia, tremores e aumento da frequência dos batimentos cardíacos.

Por isso, deve-se evitar ingeri-los em excesso. Entretanto, da mesma forma que acontece com a cafeína, esses estimulantes não precisam ser cortados de sua alimentação. Você pode consumir açaí ou guaraná, por exemplo, em quantidades moderadas. Dessa forma, pode aproveitar os benefícios das substâncias sem prejudicar sua saúde.

A presença de sódio e açúcar também é grande

Outros ingredientes que costumam estar presentes em grande quantidade nos energéticos são o sódio e o açúcar. O consumo excessivo de sódio no dia a dia deve ser evitado, porque pode provocar problemas graves, como hipertensão e inchaço.

Ingerir uma bebida com quantidade elevada de açúcar também é preocupante, principalmente para pessoas que têm predisposição para ter diabetes, pois essa pode ser desenvolvida por um consumo exagerado da substância.

Apesar de ser mais preocupante para quem tem uma predisposição à diabetes, o consumo exagerado de açúcar deve ser evitado por todos. Isso é fundamental, porque quando ingerido em excesso, o açúcar provoca um pico de glicemia no organismo.

No momento, isso pode parecer agradável para a pessoa, mas depois, ela vai sentir um cansaço ainda maior do que ela estava sentindo antes de tomar o energético. Para diminuir a sua ingestão de açúcar, existem duas ações que podem ser realizadas.

Uma delas é checar a quantidade de açúcar em energéticos de marcas diferentes, pois ela pode variar de acordo com a fabricante, e escolher a opção com a concentração mais baixa.

A segunda alternativa é optar por bebidas energéticas sem açúcar. Mas, não se esqueça de que não é porque não há essa substância que você pode abusar do produto. Um energético sem açúcar traz menos riscos para o seu organismo, mas ele ainda contém diversos estimulantes.

A bebida pode viciar

Como o energético possui açúcar e estimulantes, por exemplo, a cafeína, ele pode sim viciar quando consumido de forma exagerada. Isso acontece porque o produto para de fazer efeito no organismo e a pessoa precisa ingerir cada vez mais uma quantidade maior da bebida para alcançar a sensação de disposição que obtinha antes.

A mistura de energético com álcool é perigosa?

Misturar energético com álcool é uma prática frequente, mas bastante perigosa, já que pode aumentar os efeitos negativos de ambas as substâncias no organismo. E por que isso acontece?

O energético estimula o sistema nervoso central, enquanto o álcool o deprime. Sendo assim, quando há a mistura das duas substâncias, o indivíduo precisa beber mais energético para obter energia.

Então, quando consumida, essa combinação pode causar suor, um grande aumento na frequência dos batimentos cardíacos e na liberação de adrenalina. Além disso, como foi dito, consumir energético em excesso pode levar à desidratação do organismo. 

Como o álcool é diurético, a combinação dele com a bebida energética pode provocar uma desidratação ainda maior do corpo. Por isso, mesmo em pequenas quantidades, a mistura de energético e álcool deve ser evitada.

O consumo moderado somente da bebida energética não traz consequências negativas, se você estiver fora dos grupos de risco. Mas, em excesso, o energético pode causar diversos problemas que foram citados aqui, como desidratação e até vício.

Sendo assim, lembre-se sempre de consumi-lo com moderação. E, para manter seu organismo ainda mais saudável, que tal conferir 8 benefícios de parar de fumar? 

 

O post Conheça os riscos do consumo excessivo de energéticos apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categorias: Medicina

Se você está preocupada com a sua fertilidade

Fertilidade - qui, 09/17/2020 - 17:54

Se você está preocupada com o fato de talvez ter um problema de fertilidade, seu ginecologista deve perguntar a você sobre o seu estilo de vida, saúde geral e histórico médico. Ele deve perguntar a quanto tempo você e o seu parceiro estão tentando engravidar e sobre os aspectos do seu histórico e saúde sexual que podem estar afetando suas chances de ter um bebê.

Se você e o seu parceiro estão tentando engravidar há mais de 1 ano, deve ser pedido exames à ambos (veja testes para homens e testes para mulheres).

Se você está fazendo inseminação artificial ao invés de relações sexuais para engravidar (usando esperma de um doador ou esperma do seu parceiro) e você não engravidou depois de 6 ciclos, você deve passar por exames. Se você está fazendo inseminação artificial usando esperma do seu parceiro, seu parceiro deve também passar por exames.

Você deve receber um acompanhamento prévio, realizar exames e ter um aconselhamento de um especialista em reprodução humana caso se aplique um dos seguintes:

  • Mulher tem 36 anos de idade ou mais.
  • Existe uma razão médica conhecida para os seus problemas de fertilidade, por exemplo, você teve tratamento contra o câncer que afetou a sua fertilidade, ou você teve uma condição ou problema que talvez tenha afetado a sua fertilidade.

Se você ou o seu parceiro tiver uma infecção viral de longo prazo (como o HIV, hepatite B ou hepatite C) que pode ser passada para o seu parceiro através de relação sexual desprotegida ou passada para o seu bebê, você deve ser encaminhada para um centro especializado em reprodução humana para providenciar investigações e tratamentos com segurança.

Para casais que querem ter um bebê, mas não conseguem ou acham muito difícil ter relações sexuais (por exemplo, por causa de uma deficiência física), seu especialista deve conversar com você sobre suas opções para engravidar, e aconselhar sobre quaisquer outras avaliações que você possa precisar e possíveis tratamentos que podem ajudar.

O post Se você está preocupada com a sua fertilidade apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categorias: Medicina

Exames para homens

Fertilidade - qua, 09/16/2020 - 15:27

Você deve realizar um exame de sêmen para medir a quantidade e a qualidade do seu esperma. Ocasionalmente há um resultado anormal no primeiro exame de sêmen. Se isso acontecer, uma repetição do exame pode ser solicitada, idealmente 3 meses depois. No entanto, se parecer que a sua contagem de espermatozoides é muito baixa ou se você não tiver nada de esperma, o exame deverá ser repetido o mais rápido possível.

Depois dos exames pode ser indicado procedimentos como:

O post Exames para homens apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categorias: Medicina

Tentando ter um bebê

Fertilidade - ter, 09/15/2020 - 17:18

Existem algumas coisas que você pode fazer para melhorar as suas chances de engravidar. Seu especialista em reprodução humana pode informar mais a respeito. Marque uma consulta.

Com que frequência ter relações sexuais

Para ter a melhor chance de sucesso, tente ter relações sexuais a cada 2 ou 3 dias. Se você está passando por estresse psicológico (o que é bem comum), isso pode afetar o seu relacionamento e pode reduzir o seu desejo sexual. Se isso significa que você não está fazendo sexo tantas vezes como de costume, isso pode também estar afetando você e as chances da sua parceira de engravidar.

Fumo/Tabagismo

Fumar contribui para a redução da fertilidade na mulher. Respirar a fumaça do cigarro de outra pessoa (fumo passivo) também contribui para a redução das chances da mulher engravidar. Se você fuma, seu clínico geral deve oferecer a você ajuda para parar se você quiser. Cardiologistas e clínicos podem ajudar no processo. 

Para os homens, existe uma ligação entre fumar e ter sêmen de baixa qualidade (embora o efeito disso na fertilidade seja incerto). Mas, o mais importante é que parar de fumar irá melhorar sua saúde geral.

Álcool

Para os homens, é improvável que a sua fertilidade seja afetada se o seu consumo de álcool está dentro do limite máximo recomendado de 3 a 4 unidades de álcool por dia. Uma caneca de cerveja de tamanho normal corresponde a cerca de 2 unidades e uma taça pequena (125 ml) de vinho corresponde a 1,5. Porém, beber quantidades excessivas de álcool pode afetar a qualidade do sêmen.

Nas mulheres, o álcool pode prejudicar os bebês em desenvolvimento. Se você está tentando engravidar, você pode diminuir os riscos de prejudicar o seu bebê antes de nascer ao beber não mais do que 1 ou 2 unidades de álcool, uma ou duas vezes por semana.

Peso corporal

O intervalo de peso saudável é definido pelo índice de massa corporal (IMC). Um peso saudável é um IMC entre 20 e 25.

Pode demorar mais para engravidar se você está abaixo do peso (seu IMC é abaixo de 19) ou se você está obesa (seu IMC é 30 ou acima). Se você está abaixo do peso ou acima do peso e você tem menstruações irregulares ou não as tem, alcançar um peso saudável irá ajudar os seus ovários a começarem a funcionar novamente.

Se você está acima do peso, participar de um grupo de exercícios e programa de dieta dará a você uma chance melhor de engravidar do que tentar perder peso por conta própria.

Homens que tem um IMC de 30 ou acima são mais suscetíveis a terem a sua fertilidade reduzida.

Seu trabalho

No trabalho, algumas pessoas são expostas a raios-X, pesticidas ou outras coisas que podem afetar sua fertilidade. Seu médico especialista deve perguntar sobre o trabalho que você faz, e deve aconselhar sobre quaisquer possíveis riscos sobre a sua fertilidade.

Remédios e Medicamentos

Alguns medicamentos prescritos e sem receita médica podem interferir na sua fertilidade. Seu especialista em fertilidade  deve perguntar à você sobre quaisquer medicamentos que você esteja tomando e oferecerá a você um aconselhamento apropriado. Ele deve também perguntar a respeito do uso de drogas recreativas (como a cannabis/macinha, cocaína e esteroides anabolizantes) já que estas podem também interferir na sua fertilidade e causar danos ao desenvolvimento do bebê.

Outros fatores

Outras ações que as pessoas tentam para melhorar sua fertilidade incluem reduzir sua ingestão de cafeína (de bebidas como chá, café e cola) e usando terapias complementares. No entanto, não é claro se existe uma associação entre a ingestão de cafeína e a fertilidade. Terapias complementares não são cientificamente recomendadas porque não há pesquisas suficientes que comprovem que elas melhoram a fertilidade.

Homens algumas vezes também tentam usar roupas íntimas folgadas para ajudar a fertilidade, pois altas temperaturas no escroto podem reduzir a qualidade do sêmen, mas não está claro nas pesquisas se usar roupas íntimas folgadas melhora a fertilidade.

Lista de fatores ambientais que podem influenciar na fertilidade.

 

Se for para simplificar: tenha uma vida saudável para engravidar saudavelmente

Preparação para a gravidez

Ácido Fólico

Mulheres que estão tentando engravidar devem tomar comprimidos de ácido fólico (0,4 mg ao dia). Tomar ácido fólico quando você está tentando ter um bebê e pelas primeiras 12 semanas de gravidez reduz o risco de ter um bebê com problemas no tubo neural (onde partes do cérebro ou da medula espinhal não se formam corretamente), como a espinha bífida. Se você já teve anteriormente uma criança com um defeito no tubo neural, está tomando medicamentos para epilepsia, ou tem diabetes, você deve tomar uma dose maior de 5 mg ao dia e deve ser acompanhada de perto pelo médico obstetra.

Rubéola (Sarampo alemão)

Pode ser oferecido às mulheres um teste para descobrir se você é imune à rubéola. Se você não for imune, você deve tomar uma vacina contra antes de tentar engravidar, porque infecção com rubéola pode prejudicar os bebês antes de nascerem. Você deve evitar a gravidez por 1 mês depois da vacinação contra rubéola.

Exame de Citologia Cervical

Seu ginecologista deve perguntar quando você fez seu exame de citologia cervical pela última vez e qual foi o resultado. Se seu exame de citologia cervical está vencido, você deve realizar esse teste antes de tentar engravidar.

O post Tentando ter um bebê apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categorias: Medicina

Canais Deferentes

Fertilidade - seg, 09/14/2020 - 17:53

Faz parte do sistema reprodutor masculino. Os ductos deferentes ou canal deferente é um canal que leva os espermatozóides para a uretra e sua exteriorização, a partir do epidídimo, que é o local onde eles são armazenados após serem produzidos nos testículos. Representam uma continuação direta do epidídimo e o seu tamanho pode variar entre 30 e 40cm.

Divide-se em: parte testicular, funicular, inguinal, pélvica e ampola do ducto deferente (que une-se com o ducto excretor da vesícula seminal para formar o ducto ejaculatório)

 

Importância na Infertilidade:

  • Vasectomia: método cirúrgico de corte dos ductos deferentes utilizado como um método contraceptivo. Tratamento feito por homens que não desejam mais ter filhos. A cirurgia consiste em um corte na bolsa testicular interrompendo a passagem de espermatozoides pelos dois canais deferentes.
  • Azoopermia Obstrutiva:  Ausência de espermatozóides na ejaculação, causada por uma obstrução nos ductos deferentes. Quando a produção de espermatozóides no testículo é normal. Possíveis causas: cistos, congênitas, adquiridas pós infecção, cirurgias prévias. Obstrução completa e parcial do duto ejaculatório tocorre em 1 a 5% dos pacientes com infertilidade masculina. Os pacientes podem ter um vaso deferente normal, mas com diminuição do volume ejaculado ou hemospermia (sangue na ejaculação) ou pode sentir dor no momento da ejaculação. podem ser cistos, calcificação ductal e cicatriz pós-operatória. 

    • Obstrução dos Ductos Ejaculadores: A desembocadura dos canais deferentes na próstata ocorre numa região delicada que ocorre a mistura dos espermatozóides com o líquido produzido na próstata e nas vesículas seminais, dando origem ao sêmen. Se houver uma obstrução nesta região, a mesma poderá impedir a passagem dos espermatozóides. Como consequência, o líquido ejaculado não irá conter espermatozóides. 

    • Ausência Congênita dos canais Deferentes: A azoospermia obstrutiva pode ser causada pela agenesia dos canais deferentes desde nascença, onde os canais não são formados. Apesar de haver a produção de espermatozóides férteis, não há como exteriorizá-los, pois o ducto de transporte não existe. 

    • Obstruções ao Nível do Epidídimo e canais Diferentes: Sejam elas causadas por infecções, vasectomia ou aquelas congênitas, podem ser tratadas com sucesso por meio da microcirurgia, mas quando o objetivo final é gerar um bebê, outras soluções como a punção e biópsia devem ser consideradas.

Tratamentos relacionados:

  • Reversão de vasectomia: Reconecta as duas partes dos canais deferentes anteriormente separadas na vasectomia. Só é possível em algumas situações que devem ser avaliadas pelo médico urologista. É feita microcirurgia com pequena incisão no saco escrotal, de 3 a 5 centímetros. As pontas dos canais deferentes são localizadas com microscópio e preparadas para o procedimento, que consiste na sutura das duas partes feita com fios muito finos e usando um microscópio. O procedimento é feito com anestesia geral, máscara laríngea ou sedação com anestesia local em regime de hospital dia. Após 45 dias é feito um espermograma para avaliar a quantidade de espermatozoides no sêmen, além de sua motilidade e formato.
  • Punção e biópsia testicular Se o transporte do espermatozoide não está sendo feito adequadamente, à busca na fonte é uma solução.

 

* correto é ducto deferente, e não ducto diferente

O post Canais Deferentes apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categorias: Medicina

Quanto tempo demora para engravidar?

Fertilidade - seg, 09/14/2020 - 17:33

Na população em geral, mais de 8 em cada 10 casais onde a mulher tem menos de 40 anos engravida dentro de 1 ano se tiverem relações sexuais regulares (isto é, a cada 2 ou 3 dias) e se não usarem contraceptivos. Mais de 9 em cada 10 casais engravidarão dentro de 2 anos.

Para mulheres acima de 40 anos que estão fazendo inseminação artificial em vez de relações sexuais para engravidar, mais da metade das mulheres engravidarão dentro de 6 ciclos de inseminação intrauterina. Dentro de 12 ciclos, mais de 3 em cada 4 mulheres engravidarão.

O post Quanto tempo demora para engravidar? apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categorias: Medicina

Sua equipe de cuidados

Fertilidade - seg, 09/14/2020 - 15:09

Trabalhando com você para você

Uma gama de profissionais que são especializados em diferentes áreas de tratamento ou de apoio devem estar envolvidos em seus cuidados. Estes podem incluir clínicos gerais, enfermeiras, urologistas, ginecologistas, endocrinologistas, especialistas em fertilidade e conselheiros. O tratamento da infertilidade dificilmente envolve um profissional só, e, para coordenar toda a complexidade envolvida o médico especialista é recomendado, portanto, a primeira consulta sobre infertilidade deve ser realizada com o especialista em reprodução humana.

A sua equipe de cuidados irá conversar com você sobre problemas de fertilidade. Eles vão explicar quaisquer testes, tratamentos e oferecer apoio a você para que vocês possam decidir juntos o que é o melhor a ser feito.

Alguns tratamentos ou cuidados descritos aqui podem não ser adequados para você. Se você acha que o seu tratamento não corresponde a este conselho, converse com a sua equipe de cuidados.

O post Sua equipe de cuidados apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categorias: Medicina

A próstata e a infertilidade masculina

Fertilidade - sex, 09/11/2020 - 17:43

A próstata é uma glândula do corpo humano, formada por várias zonas distintas, cuja secreção é associada ao líquido seminal.

A zona central, é por onde o esperma passa para a uretra, ao redor dos canais ejaculadores;
A zona de transição é a área onde ocorre o aumento benigno tão comum chamado de hiperplasia benigna da próstata;
A zona periférica é a área onde mais frequentemente se originam os tumores malignos (câncer);
A zona ou estroma fibromuscular anterior consiste na parte não glandular, composto por tecido muscular e fibroso.

Sua base está encostada na bexiga urinária e a primeira parte da uretra perfura a próstata longitudinalmente no seu centro. Por isso quando com hiperplasia dificulta a micção.

A função principal da próstata na reprodução humana é produzir e armazenar um liquido incolor e ligeiramente alcalino (pH 7.29) que constitui de 10 a 30% do volume do fluido seminal, que juntamente com os espermatozóides forma o sêmen. As enzimas e o antígeno prostático específico (PSA) são importantes para manter o esperma líquido, de modo que possa fluir adequadamente e ajudando no movimento adequado dos espermatozoides. Portanto, a próstata é um coadjuvante importantíssimo na fertilidade masculina.

As principais doenças que atingem a próstata são a hiperplasia prostática benigna, a prostatite e o câncer de próstata.

Correlação da próstata com a infertilidade masculina:

  • Prostatite: A prostatite é a segunda principal causa de infertilidade masculina. A prostatite é mais comum em homens com menos de 50 anos e, normalmente, é causada por bactérias (Escherichia coli, a mesma que causa as infecções urinárias). Aparece como uma dor na região genital e dor para urinar, aumento da frequência de idas ao banheiro e febre. Pode ser também uma doença crônica (que dura alguns meses) e que se manifesta com uma dor pévica (na bacia), disfunção erétil, presença de sangue no sêmen entre outras coisas. Às vezes a dor inomoda tanto que pode dificultar ou impedir o exame físico realizado pelo médico urologista. Para se fazer o diagnóstico, além da história do paciente e do exame físico, são importantes o exame de urina e a procura de bactérias no sêmen. A presença da infecçãopode ocasionar diminuição na produção e qualidade do líquido produzido pela próstata, o que pode acabar dificultando a reprodução. A prostatite pode levar também à ejaculação precoce e a dificuldades com a ereção, causas secundárias de infertilidade. O tratamento com antibióticos e anti-inflamatórios costuma melhorar a eventual disfunção sexual e a infertilidade provocada pela prostatite, mas deve ser acompanhada por médico especialista. O retorno da fertilidade vai depender de qual o estágio em que se encontra a doença – ela pode ser aguda ou evoluir para crônica. Em alguns casos de prostatite crônica, o homem desenvolve um distúrbio chamado de azospermia (falta de espermatozoides no sêmen). Isso acontece quando a infecção crônica obstrui as vias da próstata e impede o encontro do espermatozoide com o líquido seminal. Nesse estágio o homem vai conseguir engravidar sua parceira com o auxilio das técnicas de reprodução assistida: punção ou biópsia nos testículos.
  • Câncer de próstata: Tratamento para câncer de próstata pode causar efeitos colaterais que incluem a infertilidade. O câncer de próstata não tem relação direta com a fertilidade. Porém, a quimioterapia e radioterapia comprometem a fertilidade do homem. Nessa situação deve-se considerar a possibilidade do congelamento de sêmen, que pode ajudar a realizar o desejo de ter um filho. Independente da idade, e da origem do câncer, o homem deve considerar o congelamento, feito em clínica de reprodução humana.

Tratamentos de infertilidade masculina relacionadas com a próstata (direta ou indiretamente):

O post A próstata e a infertilidade masculina apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categorias: Medicina

Os tratamentos para engravidar em tempos de Zika.

Fertilidade - qui, 09/10/2020 - 14:49

Atualmente, a maior preocupação de gestantes e obstetras é a infecção pelo Zika Vírus, transmitido pelo mosquito Aedes aegipty, podem causar alterações no desenvolvimento do feto de acordo com a época gestacional em que ocorre de variados graus, a mais em evidência, a microcefalia.

A recomendação das autoridades é que se previna a gravidez em tempos de Zika. Porém é uma decisão do casal de ter ou não o filho neste momento, o papel do médico é orientá-la dos riscos e se a decisão for engravidar de orientar a prevenção a infecção.

Mulheres acima de 35 anos com desejo reprodutivo, esperar 2 anos ou mais tem impacto direto na qualidade e quantidade de seus óvulos podendo baixar sua capacidade reprodutiva. O bom senso deve ser levado em conta de acordo com a idade da mulher, desejo reprodutivo e a aréa aonde se vive, se é endêmica.

A orientação as gestantes é que usem roupas claras que cubram todo o corpo, uso de repelente até 3 vezes ao dia e previnam a proliferação do mosquito em torno de si.

 

Leia também:

O post Os tratamentos para engravidar em tempos de Zika. apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categorias: Medicina

A bolsa escrotal e a infertilidade

Fertilidade - qua, 09/09/2020 - 16:32

O escroto ou bolsa escrotal é uma bolsa feita de músculo e pele onde estão contidos os testículos, epidídimo e a primeira parte dos ductos deferentes; órgãos indispensáveis quando falamos de fertilidade, infertilidade e reprodução humana, afinal, fazer um bebê precisa de conteúdo genético do homem e da mulher.

Cada conjunto desses órgãos (direito e esquerdo) ocupa um compartimento completamente separado do outro, já que o escroto é subdividido em duas partes por um septo, que superficialmente se corresponde a uma rafe cutânea, a linha rugosa mediana.

Fatores masculinos relativos à bolsa escrotal que determinam a infertilidade:

  • Criptorquidia – ou testículos que não desceram: em alguns casos após o nascimento, os testículos permanecem no interior do abdômen, que poderá levar à infertilidadea longo prazo. Se a descida dos testículos não ocorrer espontaneamente, este problema deverá ser corrigido através de cirurgia realizada ainda na infância.
  • Torção dos testículos: é um problema emergencial e pode causar infertilidade posteriormente.
  • Varicocele: dilatação das veias que ficam em volta sos testículos provocando um defeito valvular dessas veias. Acredita-se que esta alteração causa aumento da temperatura local prejudicando a produção dos espermatozoides. Embora muitos nunca tenham ouvido sequer falar na varicocele, é a principal causa de infertilidade masculina, pois associa-se a alterações na produção e qualidade dos espermatozoides.
  • Infecções: Infecções do trato genital (próstata, epidídimo ou testículo), podem causar a infertilidade. As infecções por clamídia, muitas vezes assintomáticas, têm sido uma das responsáveis pelo aumento das causas de infertilidade nos últimos anos e, por isso, merece atenção especial. Histórias de caxumba depois da puberdade são também muito importantes, porque até 30% dos homens poderão ter diminuição da produção de espermatozoides. A vacinação precoce ajuda a resolver este problema.

Tratamentos relacionados à bolsa escrotal:

O post A bolsa escrotal e a infertilidade apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categorias: Medicina

Clinica de Reprodução Humana em SP

Fertilidade - ter, 09/08/2020 - 16:44

Nossa história:

Estamos há mais de 32 anos atendendo no Instituto Amato, mas nossa história na medicina é muito anterior: são 4 gerações de médicos, estivemos presentes no início das especialidades médicas, nossa história se confunde com a história da medicina no Brasil.

Localização:

Estamos localizados em São Paulo, na Av Brasil 2283. Tel 11 5053-2222

Nossa estrutura:

Nossa estrutura conta com equipamentos de última geração e visa oferecer, além de taxas de gravidez comparáveis aos melhores centros do mundo, conforto para seus pacientes.

Tratamentos:

Onde a equipe atua:

Clinicas de Reprodução Humana em São Paulo, SP que a Dra Juliana Amato atua:

  • Instituto Amato  – Centro Cirúrgico
    • A Dra Juliana Amato é chefe do departamento de tratamento de infertilidade, ginecologia e obstetrícia do Instituto Amato.
  • Projeto Alfa  – Laboratório
    • Membro da equipe de reprodução humana.

Assine o melhor canal de saúde no Youtube

As clínicas acima são privadas, não fazemos atendimento ao SUS ou gratuito. Para quem estiver procurando tratamento gratuito de infertilidade, oferecemos a seguinte lista de serviços, os quais não somos afiliados e não sabemos a situação atual. Dependemos de informações fornecidas por terceiros. Estamos planejando um diretório de clínicas de reprodução humana em breve.

O post Clinica de Reprodução Humana em SP apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categorias: Medicina

O útero

Fertilidade - seg, 09/07/2020 - 17:54

O útero é um dos principais órgãos femininos pertencente ao aparelho reprodutor, juntamente com os ovários. Possui como função principal receber, implantar e abrigar os embriões, além de ser o responsável pela propulsão do feto no momento do parto, por meio de suas contrações. Nas clínicas de reprodução humana, o útero recebe o embrião de forma artificial, mas ele ainda tem que implantar e abrigar o embrião.

Durante a gravidez, o útero aumenta de tamanho e o feto se desenvolve em seu interior. 

Uma de suas extremidades, o cérvix, se abre na vagina; enquanto a outra é conectada às duas tubas uterinas (trompas de Falópio).

O útero é um órgão oco, impar (temos somente um) e mediano (está no meio do abdome), em forma de uma pêra invertida, achatada no interior da cavidade pélvica. O útero está situado entre a bexiga urinaria (armazena a urina), que esta para frente, e o reto, que esta atrás.

Possui parede grossa e composta por três camadas: a serosa (constituída por mesotélio e tecido conjuntivo) ou  adventícia (formada por tecido conjuntivo sem revestimento de mesotélio), o miométrio (espessa camada de músculo liso) e o endométrio (ou mucosa uterina).

O miométrio é a parede mais espessa do útero, sendo composta fibras musculares separadas por tecido conjuntivo. Durante o período gestacional, o miométrio passa por um grande crescimento devido à hiperplasia e hipertrofia das fibras musculares. Durante essa fase, muitas dessas células musculares lisas adquirem características de células secretoras de proteínas e sintetizam ativamente colágeno, cuja quantidade aumenta significativamente no útero. Após a gravidez, há degeneração de algumas células musculares lisas, diminuição do tamanho de outras e degradação enzimática de colágeno. Após o parto, o útero reduz seu tamanho para as dimensões aproximadas de antes da gravidez.

O endométrio consiste em um epitélio e uma lâmina própria que contém glândulas tubulares simples que às vezes se ramificam nas porções mais profundas. Pode ser dividido em duas camadas: a camada basal que é mais profunda, e a camada funcional, formada pelo restante do tecido conjuntivo da lâmina própria. Enquanto a camada funcional sofre grandes mudanças durante o período menstrual, a basal permanece quase inalterada.

Os vasos sangüíneos que nutrem o endométrio são muito importantes para o fenômeno da menstruação

Causas de infertilidade relacionadas ao útero:

  • Ausencia do útero. A cirurgia de retirada do útero é a histerectomia, e é grande causa de infertilidade no mundo atual.
  • Mioma. A falta de planejamento no tratamento dos miomas, por exemplo, pode levar a histerectomias desnecessárias. Existem técnicas menos invasivas, como a embolização dos miomas que preserva melhor a fertilidade.
  • Endometriose A endometriose é doença ginecológica caracterizada pela presença de fragmentos do endométrio fora de sua localização normal.  Estudos mostram que 50% das mulheres com endometriose têm problemas de fertilidade. A outra metade, não. Os problemas podem ser: alteração na ovulação, alteração das trompas (entupimento), deficiência no transporte do óvulo fecundado, dificuldade de fertilização do óvulo e dificuldade de aderência do óvulo fecundado.
  • Má formação uterina.  (útero didelfo, útero infantil)

Tratamentos de infertilidade relacionados ao útero:

  • Inseminação intrauterina. É um dos tipos da reprodução assistida. Consiste na injeção de espermatozoides vivos dentro do útero, geralmente 36 horas após a ovulação. Pode ser utilizada em casos de distúrbios da ovulação, de muco cervical hostil e endometriose leve (sem obstrução das trompas). É recomendada quando a causa da infertilidade é indeterminada. Apresenta uma taxa de 60% de chance de gravidez, após três ciclos.
  • Transplante uterino. Planejado (e esperado) como alternativa para a histerectomia. Em fevereiro de 2016 os Estados Unidos realizaram o primeiro transplante de útero, que teve complicações no pós operatório e teve que ser removido. Veja na Cleveland Clinic.

 

Leia mais:

O post O útero apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categorias: Medicina

10 Artigos mais lidos sobre infertilidade. Retrospectiva 2016

Fertilidade - seg, 09/07/2020 - 16:22

2016 será mais um ano que ficará na história da equipe Fertilidade.org. Depois de tantos bebês colocados no mundo, temos que meditar nesse período do ano e traçar a rota que será seguida em 2017, sempre com o objetivo de ajudar mais mulheres a se tornarem mamães. Foi um ano que deixou sua marca, com muitas dificuldades, mas também com muitas vitórias. 
Para nosso site não foi diferente. Mais de 309.764 visitas ao nosso conteúdo, 6162 curtidas no Facebook (curta você também), com avaliação 4,1 estrelas. Sempre buscando a melhor informação em reprodução humana para você.
Os artigos mais lidos em 2016 foram:

  1. Calculadora de Fertilidade
  2. Como o esperma chega ao óvulo
  3. Calculadora Gestacional
  4. O processo do tratamento da fertilização in vitro (FIV)
  5. Convênios e o tratamento de reprodução humana
  6. Os principais tratamentos para infertilidade
  7. Idade e a Fertilidade feminina
  8. Inseminação artificial
  9. Fertilização in vitro (FIV)
  10. Congelamento de óvulos

Os artigos onde os usuários ficaram mais tempo lendo foram:

Se você ainda não leu, não perca a chance de ler os artigos vencedores.

Desejamos a todos muita saúde e muitos bebês em 2017.

 

Equipe Fertilidade.org

O post 10 Artigos mais lidos sobre infertilidade. Retrospectiva 2016 apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categorias: Medicina

Páginas

Subscrever Frases Fortes agregador

Não perca Frases do Einstein selecionadas a dedo.

Conhece alguma frase legal? Envie-nos.

Vote agora nas frases e citações que você mais gosta.