Medicina

Tratamento de Varizes

Vascular Pro - dom, 01/20/2019 - 18:28



Olá, eu sou o Dr. Alexandre Amato e hoje quero acabar com todos os mitos que existem quando o assunto é varizes.

Vou te contar qual é o segredo para que você possa ter novamente uma perna lisa, bonita e livre das varizes incômodas. Tudo isso de uma forma segura, e livre de desconfortos.

Então, assista ao vídeo até o final se quiser descobrir tudo sobre varizes e como tratá-las.

Pelo que posso perceber dentro da nossa clínica ainda existe muita desinformação, muitas soluções supostamente milagrosas, mas com nenhuma comprovação cientifica.

E isso faz com que muitas mulheres sofram por mais tempo com as varizes, mesmo hoje, já existindo ótimas soluções.

Bom, mas quem sou eu para falar sobre esse assunto?

Eu sou médico, cirurgião vascular e endovascular, professor universitário, autor de livros e tive alguns artigos importantes sendo publicados em revistas internacionais.

Atualmente sou diretor administrativo do Amato - Instituto de Medicina Avançada.

Nós estamos há mais de 35 anos atendendo no Amato Consultório Médico, mas nossa história na medicina é muito anterior: são 4 gerações de médicos.

Nós estivemos presentes no início das especialidades médicas, e podemos dizer que nossa história se confunde com a história da medicina no Brasil.

Pois bem, dentro do Instituto Amato um dos vários procedimentos que realizamos há décadas é o combate às varizes.

Esse tipo de tratamento é cada vez mais procurado, principalmente, por aquelas mulheres que já tentaram de tudo. Receitas, chás, cremes e tantos outros métodos estéticos que não tratam de verdade o problema.

O fato é que não há nenhuma comprovação a respeito dessas técnicas alternativas e, mais do que isso, algumas delas podem até prejudicar o estado das varizes.

Muitas mulheres também já tentaram outros tratamentos, pagaram caro, e não tiveram resultados. Na maioria das vezes, esses procedimentos foram feitos por profissionais que nem eram da área da saúde.

É preciso, antes de tudo, entender o que realmente são as varizes e, a partir disso, definir como tratá-las.

As varizes são dilatações ou tortuosidades das veias do corpo humano. As mais comuns são as varizes dos membros inferiores

Como sabemos elas são incomodas, prejudicam a sua aparência e podem também ser prejudiciais a sua saúde, se não tratadas corretamente. Em alguns casos, as varizes podem evoluir para a formação de coágulos nas veias das pernas, a temida trombose.

Estimativas mostram que cerca de 40% das mulheres sofrem com a doença.

Boa parte delas acaba enfrentando uma série de dilemas.

Muitas acabam tendo vergonha e insegurança para colocar um shorts ou uma saia, por exemplo.

E, quando chega o verão, a situação se torna ainda pior. Por sentir vergonha muitas acabam usando calça comprida mesmo nos dias mais quentes.

Para elas usar um shorts ou vestido é algo possível apenas dentro de casa.

Além da insegurança, e da vergonha, as varizes também podem trazer muitas dores nas pernas, muito desconforto e coceira.

Mas o pior de tudo isso é ter a sensação de que o seu problema não tem solução..

Quem tem varizes acaba ouvindo opiniões e conselhos de todo mundo. E esses conselhos, em boa parte das vezes, são prejudiciais.

As pessoas não fazem por mal, mas a desinformação acaba atrapalhando você de ter um tratamento adequado.

Muita gente tem medo de fazer a cirurgia, da anestesia, do pós-operatório, das varizes voltarem depois, etc.

Só que nada disso hoje é motivo de preocupação.

A medicina já possui uma série de procedimentos que são muito eficientes, que tratam problema de verdade e sem trazer complicações para a paciente.

Tratar as varizes, não só é possível, como vai lhe trazer muitos benefícios  principalmente com relação a qualidade de vida.

Um estudo publicado no Journal of Vascular Surgery mostrou que após o tratamento foi possível perceber uma melhora na qualidade de vida dos pacientes em apenas 6 semanas.

O tratamento bem executado acaba com o desconforto, eleva a autoestima da mulher e a faz sentir melhor de uma maneira geral.

Ou seja, um método muitas vezes simples pode, em poucas semanas, acabar com o sofrimento de uma vida inteira.

Não há nada melhor do que se sentir bonita, sem constrangimento em mostrar as pernas em público e usando a roupa que quiser.

E o primeiro passo para resolver o problema é procurar um profissional adequado que vai conseguir te orientar em busca da melhor solução.

O mais recomendado é que você procure um cirurgião vascular já que as varizes são veias e, portanto, precisam ser cuidadas por quem entende do assunto.

Existem vários procedimentos para tratar varizes. Para cada caso há uma solução mais eficiente.

Para o tratamento dos vasinhos menores como reticulares, veias tributarias e colaterais, a microcirurgia e a técnica de Müller podem ser realizadas.

Bom, mas do que se trata exatamente a microcirurgia?

A microcirurgia é uma modificação da técnica de Müller e consiste em fazer pequenos furinhos e, através deles, retirar as veias.

Para você ter uma ideia como esses furos são realmente pequenos, eles não precisam nem de pontos.

Essa microcirurgia pode ser realizada com uma anestesia local sem a necessidade de hospital ou de uma anestesia geral.

Em outros casos, onde ocorre a insuficiência venosa de veias maiores como safena, safena magna, safena parva ou safenas acessórias, o mais indicado é a cirurgia a laser ou por radiofrequência.

Antigamente era feito outra cirurgia, em que se colocava um fio de aço para arrancar essa veia, mas hoje de acordo com as grandes diretrizes internacionais, essa já não é mais a solução primaria para o problema de varizes.

As técnicas termo ablativas, que é como chamamos o laser, e a radiofrequência, têm um resultado melhor e são as mais indicadas atualmente.

Ambas causam a oclusão da veia pelo calor, seja pela energia luminosa do laser ou do calor usado pela energia de micro-ondas, no caso da radiofrequência.

Então, quando falamos em tratamento de varizes, cada caso pede uma solução adequada e que vai trazer os melhores resultados.

E, somente sendo atendida por um profissional capacitado, que entenda do assunto, é que você poderá ter tranquilidade e segurança de que escolheu o procedimento correto.

É exatamente esse atendimento que nós oferecemos a você aqui no Instituto Amato.

Estamos localizados aqui na Av. Brasil, 2283, em São Paulo, SP. O Lugar é de fácil acesso, com metrô próximo, no Cruzamento da Rebouças com a Av Brasil.

A consulta leva entre 40 minutos a 1 hora,  e pode se estender se os exames forem realizados no mesmo momento.

Nossa clínica trabalha com os melhores tratamentos e tecnologia para cuidar de você da melhor maneira possível.

O seu tratamento iniciará primeiramente com uma consulta médica com um especialista em cirurgia vascular.

A partir dessa primeira análise, faremos uma série de exames para se aprofundar mais no seu problema e entender quais são exatamente as veias que precisam ser retiradas.

Como você já sabe existem diversos tratamentos como cirurgia, microcirurgia, com laser, sem laser e as famosas aplicações, espuma, e outros.

Ao não se orientar com um profissional qualificado, você corre o risco de fazer um procedimento inadequado, que não vai cuidar do problema, que será apenas um paliativo ou que vai lhe causar desconfortos desnecessários.

Aqui no Instituto de Medicina Avançado - Amato nós trabalhamos seguindo as diretrizes nacionais e internacionais para o tratamento padrão ouro, ou seja, a melhor indicação para cada caso.

Somente com esse tipo de garantia é que você pode ter a certeza que vai ter melhor solução para o seu problema.

É por isso que indicamos que você marque uma consulta no Instituto Amato e se livre de vez das varizes.

Basta ligar para o número (11) 50532222 ou entrar em contato via Whatsapp através do (11) 944729599 e marcar a sua consulta.

Antes de encerrar essa apresentação eu gostaria, conforme prometido, acabar com alguns mitos que existem sobre o tratamento de varizes.

O primeiro mito que existe é que somente a cirurgia tradicional pode acabar com as varizes.

Bom, como já vimos, cada caso exige um tratamento diferente, mas para uma grande parte das pacientes um procedimento como a microcirurgia é mais do que suficiente para se livrar do problema de vez.

Outro fator que precisa ser esclarecido é com relação a casos de reaparecimento das varizes depois de feito algum procedimento.

Quando isso acontece é porque normalmente o procedimento utilizado não foi adequado, ou houve evolução da doença genética.

E, mesmo nos casos em que a doença volta por algum motivo, o mais recomendável é procurar um tratamento o mais rápido possível. O acumulo de varizes acaba só aumentando o trabalho que precisará ser feito depois.

Um mito também muito comum é com relação ao pós-operatório da cirurgia.

Antigamente, os procedimentos realmente traziam muitas complicações, e a paciente precisava ficar em repouso por um mês.

Só que agora a situação é completamente diferente. O pós-operatório da cirurgia é muito mais rápido, entre 2 e 7 dias.

Além disso, a paciente não necessita ficar repousando na cama e as dores nesse período praticamente não existem.

Durante a cirurgia também é tudo muito tranquilo, afinal de contas, você estará dormindo.

Outro mito muito comum é a respeito da anestesia da cirurgia. Talvez você tenha algum receio de tomar anestesia geral ou mesmo a raquianestesia ou peridural.

Para a sua tranquilidade, tanto a microcirurgia quanto a cirurgia a laser, não se utilizam mais desse tipo de anestesia.

Em nossos procedimentos a paciente recebe anestesia local e uma sedação, assim como, em um procedimento de endoscopia.

Assim, ao acordar você já estará movimentando as suas pernas normalmente.

Outro mito que se criou foi de que alguns tratamentos poderiam piorar o estado das varizes.

Veja bem, todo procedimento visa uma melhoria, mas o que ocorre em boa parte das vezes é um erro de avaliação do profissional. As varizes podem ser sintomas de outros problemas.

Então, muitos pacientes são submetidos a procedimentos inadequados e nesses casos, as varizes podem sim se agravar.

Por isso, volto a ressaltar que a importância de se consultar com um profissional competente para assegurar o melhor tratamento.

O último mito que gostaria de destacar é com relação à trombose e a embolia. Esses são riscos de qualquer procedimento e, por isso mesmo, tomamos todas as medidas necessárias para evitar esse tipo de complicação.

Um detalhe a se observar é que a recuperação e movimentação desses procedimentos são muito rápidas e isso diminui drasticamente qualquer risco de trombose ou embolia.

Bom, outro mito que existe é com relação ao valor do investimento para cuidar das varizes.

Você já ouviu aquela frase: “O barato saí caro”?

Então, isso se aplica perfeitamente aos procedimentos com varizes. Os métodos que teoricamente baratos não resolvem o seu problema, e até podem lhe prejudicar.

Agora que suas dúvidas já foram esclarecidas você já pode marcar a sua consulta. Basta ligar para: (11) 50532222 ou entre em contato via Whatsapp através do (11) 944729599.

Dependendo da época do ano, principalmente quando se aproxima o verão, a procura pelo tratamento de varizes aumenta e temos uma fila de espera grande.

Por isso, é melhor marcar a sua consulta o quanto antes.

Não perca mais tempo e venha agora mesmo fazer o método que vai permitir a você usar um shorts, uma saia, um vestido ou até mesmo um biquíni quando quiser.

Eu, Dr. Alexandre Amato, estou esperando você aqui no Amato - Instituto de Medicina Avançada para tratar as suas varizes.

 

Tags: varizestratamento Select ratingGive Tratamento de Varizes 1/5Give Tratamento de Varizes 2/5Give Tratamento de Varizes 3/5Give Tratamento de Varizes 4/5Give Tratamento de Varizes 5/5 Average: 5 (1 vote)
Categorias: Medicina

Tratamento do Lipedema

Vascular Pro - qui, 01/17/2019 - 18:03

Não existe um tratamento único e definitivo. O controle e melhora da qualidade de vida se atinge ao direcionar o tratamento nos 5 pilares:

  • Reduzir a inflamação
  • Controle da dor
  • Melhorar o retorno linfático
  • Suporte emocional
  • Ajudando o corpo a lidar com o lipedema

 

Embora o lipedema tenha sido diagnosticado e identificado inicialmente na famosa Mayo Clinic em 1940, a maioria dos médicos não está familiarizado com a doença. Não há cura identificada no momento para o lipedema, entretanto a detecção precoce e o tratamento pode reduzir os danos progressivos ao paciente. Mudanças precoces de peso e dieta com nutrição e exercício podem ajudar a reduzir a gordura não  lipedêmica e reduzir a inflamação. Dessa forma pode prevenir o aumento da parte inferior do corpo, que seria pior se o paciente também fosse obeso. Entretanto, mesmo com dieta rígida e regime de exercícios a doença também pode progredir e tratamentos futuros podem ser necessários.

Embora não haja tratamento comprovadamente efetivo para o lipedema, o edema pode ser controlado com a compressão, certos medicamentos, drenagem linfática manual e terapia de descongestão completa. A compressão pode ajudar no retorno linfático, mas dificilmente é tolerado pela dor que os pacientes apresentam, por isso é necessário o tratamento com médico especializado também na escolha da melhor compressão e o melhor momento para inicia-la.

O Lipedema é acompanhado as vezes de outras doenças, que podem agravar a saúde do paciente. Doenças articulares, venosas, linfedema, obesidade, transtornos psicossociais são vistos frequentemente em pacientes com lipedema. Medicamentos para controle da dor, ansiedade e depressão são comuns nesta população, por isso recomenda-se associação a grupos de suporte. A cirurgia bariátrica para obesidade não reduz a gordura lipedemica, embora possa ajudar a tratar as co-morbidades que acompanham.

Grupo de suporte no Facebook

Lipoaspiração:

O tratamento cirúrgico com lipoaspiração no tratamento do lipedema iniciou em 1980 e está ficando cada vez mais comum. Embora tenha ajudado muitos pacientes quando feito por cirurgião treinado e consciente do lipedema, poucos médicos tem o conhecimento necessário, sendo um tratamento frequente na Europa, mas nem tanto nos Estados Unidos. Entre as técnicas de tratamento disponíveis, nem todas são adequadas para todos pacientes. A Lipoasiração assistida a água (WAL – Water Assisted Liposuction) e a Lipoaspiração por tumescência (TLA – Tumescent Liposuction) são dois procedimentos realizados rotineiramente na Alemanha, Países Baixos, Inglaterra e Áustria para pacientes com Lipedema e no Brasil pelo Instituto Amato. Recomenda-se que os pacientes busquem informação aprofundada sobre as técnicas e os médicos antes da realização de qualquer procedimento.

 

 

 

 

Tags: lipedematratamento Select ratingGive Tratamento do Lipedema 1/5Give Tratamento do Lipedema 2/5Give Tratamento do Lipedema 3/5Give Tratamento do Lipedema 4/5Give Tratamento do Lipedema 5/5 Average: 5 (1 vote)
Categorias: Medicina

Microvarizes

Vascular Pro - qui, 01/17/2019 - 10:21

Microvarizes é mais um termo utilizado para classificar as varizes. São varizes pequenas, portanto, veias dilatadas e tortuosas visíveis a olho nú. Os vasinhos são as teleangiectasias, e as varicoses as veias varicosas. Entre elas existe as veias reticulares.

Tipos de Veias

Teleangiectasias e vasinhos: veias quase na superfície da pele e de calibre diminuto, (aproximadamente 2-3 mm ) cujo nome correto é telangectasia; 

Varizes: veias de calibre igual ou superior porém um pouco mais profundas, geralmente abaixo da pele, podendo fazer saliência na pele ou serem sinuosas; 

Veias reticulares e microvarizes: veias abaixo da pele porém de estrutura preservada porém visíveis devido a sua cor e devido a cor da pele; 

Veias perfurantes insuficientes: são vasos de comunicação dos sistema venoso superficial para o profundo, quando insuficientes levam o sangue venoso do sistema profundo (principal) para o superficial com isto dilatando-o e causando varizes e varicoses nos ramos adjacentes, às vezes causando dor localizada.

Tags: venosovarizes Select ratingGive Microvarizes 1/5Give Microvarizes 2/5Give Microvarizes 3/5Give Microvarizes 4/5Give Microvarizes 5/5 Sem avaliações
Categorias: Medicina

Cirurgia Arterial

Vascular Pro - ter, 01/15/2019 - 18:17
Cirurgia Arterial

Sistema arterial:

O sistema arterial é frequentemente acometido por aterosclerose, que é uma doença evolutiva (surge com a idade) e progressiva. As artérias que apresentam aterosclerose tornam-se estreitas e endurecidas, podendo haver bloqueio da passagem do sangue, levando à isquemia dos tecidos. Isto pode acontecer no coração (infarto do miocárdio), nas pernas (doença arterial obstrutiva periférica) e também nas artérias do pescoço, as carótidas, acarretando isquemia cerebral, que pode ser transitória (AIT - ataque isquemico transitório) ou definitiva (AVC - acidente vascular cerebral). As artérias também podem se dilatar, formando aneurismas, que são potencialmente graves, pois a dilatação do vaso enfraquece a parede com a possibilidade de rompimento do vaso e consequente hemorragia, o chamado aneurisma roto. O aneurisma mais comum é o da aorta abdominal.

- Aterosclerose, Arteriosclerose, Ateriolosclerose
- úlceras arteriais
- AVC (Acidente Vascular Cerebral) decorrente de estenose de carótida (isquemia cerebral de origem extracraniana)
- Pé Diabético
- Claudicação (dor ao caminhar, decorrente da isquemia, diminuição da circulação sangínea periférica)
- Aneurismas Arteriais, tanto da Aorta abdominal quanto de outras localizações
- tromboses arteriais
- isquemia de membros inferiores
- obstrução arterial aguda
- desbridamentos e amputações (cirurgia mutilantes mas potencialmente salvadora de vidas)
- fasciotomias
- arterites e vasculites

 

 

artériaarterialtratamentocirurgia Select ratingGive Cirurgia Arterial 1/5Give Cirurgia Arterial 2/5Give Cirurgia Arterial 3/5Give Cirurgia Arterial 4/5Give Cirurgia Arterial 5/5 Sem avaliações
Categorias: Medicina

Doenças venosas: varizes, vasinhos e insuficiência venosa

Vascular Pro - ter, 01/15/2019 - 18:14
Tratamento de vasinhos e doenças venosas

Sistema venoso:

As doenças venosas são as mais frequentes, sendo as varizes e as tromboses venosas as de maior incidência. As varizes são veias em membros inferiores que se apresentam dilatadas e tortuosas, podendo levar a sintomas como dor, peso e cansaço. A trombose venosa é a formação de coágulos dentro das veias, que podem se desprender e ir para o pulmão, causando embolia pulmonar.

- varizes, vasinhos, microvarizes, teleangiectasias, varicorragia, rotura de varizes
- úlceras venosas
- tromboflebites e tromboses venosas
- trombofilias (doenças do sangue que causam coagulação aumentada)
- acessos venosos profundos e difíceis
- fístulas arteriovenosas para hemodiálise
- acesso vascular para quimioterapia

Select ratingGive Doenças venosas: varizes, vasinhos e insuficiência venosa 1/5Give Doenças venosas: varizes, vasinhos e insuficiência venosa 2/5Give Doenças venosas: varizes, vasinhos e insuficiência venosa 3/5Give Doenças venosas: varizes, vasinhos e insuficiência venosa 4/5Give Doenças venosas: varizes, vasinhos e insuficiência venosa 5/5 Average: 5 (1 vote) varizesveiaspernasestéticavasinhos
Categorias: Medicina

O tratamento a laser para as varizes

Vascular Pro - ter, 01/15/2019 - 18:13
vascular: cirurgia de varizes com laser

O tratamento para as varizes a laser é um procedimento minimamente invasivo que utiliza a energia térmica da luz para desidratar e inutilizar somente as veias que não funcionam. Esse tratamento é realizado preferencialmente nas veias mais superficiais como as safenas -- magna e parva -- ou outras veias acessórias e possivelmente perfurantes. Como todo tratamento, possui indicações e cuidados que devem ser tomados.
As indicações para uso do laser são as mesmas para outras técnicas, como radiofrequência, escleroterapia ou cirurgia aberta. É indicado, portanto, para pessoas que apresentam os “vasinhos” tortuosos salientes, com dor ao ficar muito tempo em pé, cansaço peso nas pernas ou outros sintomas que não melhoram com tratamento clínico. Deve haver indicações de que o fluxo de sangue realmente não flui corretamente, seja por meio de exames de imagem ou pela avaliação médica. Esse procedimento não deve ser realizado em gestantes e em pessoas que tiveram uma trombose recente (quando o sangue coagula dentro do vaso, o que leva a uma obstrução da passagem do sangue).
Há algumas condições em que os benefícios e riscos são avaliados pelo médico-cirurgião vascular, como  tortuosidades em excesso, que impedem a passagem do dispositivo, diâmetro muito grande das veias que se deseja retirar, entre outras. Essa cirurgia pode ser realizada somente com anestesia locorregional (raqui) e sedação ou com anestesia geral no centro cirúrgico. No momento do procedimento, o cirurgião também pode associar outras técnicas para melhorar os resultados.
Na primeira semana, o paciente realiza um ultrassom com doppler (que possibilita ver o fluxo vascular) para avaliar se não há anormalidades precoces. Se não há grandes desconfortos, o paciente só necessita retornar ao médico após um mês para avaliar se há necessidade de mais algum procedimento.
A dor e o desconforto após o procedimento, que são mínimas, vão se resolvendo gradativamente, devendo ser utilizadas as meias compressivas como auxílio. Quando comparada a outras técnicas mais invasivas, o tempo de retorno ao trabalho e atividades diárias é menor, bem como a satisfação dos pacientes.
O uso da técnica a laser para corrigir varizes é bastante complexa e exige conhecimento teórico e domínio prático. Por isso, a indicação e o tratamento devem ser feitos por um médico-cirurgião vascular devidamente habilitado. 

 

vascularvarizeslaser Select ratingGive O tratamento a laser para as varizes 1/5Give O tratamento a laser para as varizes 2/5Give O tratamento a laser para as varizes 3/5Give O tratamento a laser para as varizes 4/5Give O tratamento a laser para as varizes 5/5 Average: 4 (1 vote)
Categorias: Medicina

Prêmio 2018

Neurocirurgia - sex, 11/02/2018 - 20:55

Menção Honrosa pelo trabalho apresentado em ENDOSCOPIA DE COLUNA no XXXII Congresso Brasileiro de Neurocirurgia.

 

Categorias: Medicina

Causas de formigamento

Vascular Pro - qua, 10/10/2018 - 16:39

Combinação de sensações anormais: dormência, ferroada, formigamento
Causas:
 

  • Acidente vascular cerebral
  • Meralgia parestésica
  • Artrite
  • Diabete melito
  • Doença de Büerger
  • Doença de Raynaud
  • Doenças convulsivas
  • Enxaqueca
  • Episódio isquêmico transitório
  • Esclerose múltipla
  • Hérnia de disco
  • Herpes Zoster
  • Lesão na medula espinhal
  • Lúpus eritematoso sistêmico
  • Neuropatia periférica
  • Oclusão arterial aguda
  • Raiva
  • Síndrome de Guillain-Barré
  • Síndrome de hiperventilação
  • Tabes dorsalis
  • Trauma craniano
  • Traumatismo em nervo periférico
  • Tumor cerebral
  • Tumores da medula espinhal
  • Drogas
  • Radioterapia
Tags: parestesiasintomasformigamento Select ratingGive Causas de formigamento 1/5Give Causas de formigamento 2/5Give Causas de formigamento 3/5Give Causas de formigamento 4/5Give Causas de formigamento 5/5 Sem avaliações
Categorias: Medicina

Causas de formigamento

Vascular Pro - qua, 10/10/2018 - 16:39

Combinação de sensações anormais: dormência, ferroada, formigamento
Causas:
 

  • Acidente vascular cerebral
  • Meralgia parestésica
  • Artrite
  • Diabete melito
  • Doença de Büerger
  • Doença de Raynaud
  • Doenças convulsivas
  • Enxaqueca
  • Episódio isquêmico transitório
  • Esclerose múltipla
  • Hérnia de disco
  • Herpes Zoster
  • Lesão na medula espinhal
  • Lúpus eritematoso sistêmico
  • Neuropatia periférica
  • Oclusão arterial aguda
  • Raiva
  • Síndrome de Guillain-Barré
  • Síndrome de hiperventilação
  • Tabes dorsalis
  • Trauma craniano
  • Traumatismo em nervo periférico
  • Tumor cerebral
  • Tumores da medula espinhal
  • Drogas
  • Radioterapia
Tags: parestesiasintomasformigamento Select ratingGive Causas de formigamento 1/5Give Causas de formigamento 2/5Give Causas de formigamento 3/5Give Causas de formigamento 4/5Give Causas de formigamento 5/5 No votes yet
Categorias: Medicina

Causas de Dor nas pernas

Vascular Pro - qua, 10/10/2018 - 16:31

Dor nas pernas pode significar muita coisa, desde lesão muscular, até doenças mais graves vasculares e neurológicas:
 

  • Dor nas pernas​
    • Arterial
    • Infecção
    • Neurológica
      • Ciática
      • claudicação Neurológica
      • neuropatia
      • Hérnia de disco
    • venoso
    • Linfático
      • Linfedema maligno
    • Outros órgãos e sistemas
      • Câncer ósseo
      • Lipedema
      • Fratura
      • Estiramento ou torção
      • Obesidade (sobrecarga)
      • Cãimbras
        • Alterações eletrolíticas
      • Fibromialgia
      • Lúpus
      • Fadiga crônica
      • Dor miofascial
    • Uso de medicamentos ou drogas
      • Estatinas
    • Por localização
      • Dor no tornozelo
        • Artrite
        • Contratura do tendão de Aquiles
        • Deslocamento
        • Fratura
        • Tenossinovite
        • Torção
      • Dor no quadril
        • Artrite
        • Bursite
        • Deslocamento
        • Fratura
        • Necrose avascular
        • Sépsis
        • Tumor
      • Dor no pé
        • Artrite
        • Calo ou calosidade
        • Dedo em martelo
        • Deslocamento
        • Doença de Köhler
        • Doença vascular oclusiva DAOP / Aterosclerose
        • Fasciite plantar
        • Fratura
        • Hálux rigido
        • Joanete
        • Neuroma de morton
        • Pé plano
        • Radiculopatia
        • Síndrome do túnel do tarso
        • Tabes dorsalis
        • Unha encravada
        • Verruga plantar
      • Dor no joelho
        • Artrite
        • Bursite
        • Cisto poplíteo
        • Condromalácia
        • Contusão
        • Deslocamento
        • Flebite
        • Fratura
        • Infecção
        • Lesão do menisco
        • Lesão do ligamento cruzado
        • Osteocondrite dissecante
        • radiculopatia
        • Ruptura do mecanismo extensor
        • Torção
      • Dor em coxa
        • Dor ardente em coxa, meralgia parestésica
Tags: dorsintomas Select ratingGive Causas de Dor nas pernas 1/5Give Causas de Dor nas pernas 2/5Give Causas de Dor nas pernas 3/5Give Causas de Dor nas pernas 4/5Give Causas de Dor nas pernas 5/5 Average: 5 (1 vote)
Categorias: Medicina

Causas de Dor nas pernas

Vascular Pro - qua, 10/10/2018 - 16:31

Dor nas pernas pode significar muita coisa, desde lesão muscular, até doenças mais graves vasculares e neurológicas:
 

  • Dor nas pernas​
    • Arterial
    • Infecção
    • Neurológica
      • Ciática
      • claudicação Neurológica
      • neuropatia
      • Hérnia de disco
    • venoso
    • Linfático
      • Linfedema maligno
    • Outros órgãos e sistemas
      • Câncer ósseo
      • Lipedema
      • Fratura
      • Estiramento ou torção
      • Obesidade (sobrecarga)
      • Cãimbras
        • Alterações eletrolíticas
      • Fibromialgia
      • Lúpus
      • Fadiga crônica
      • Dor miofascial
    • Uso de medicamentos ou drogas
      • Estatinas
    • Por localização
      • Dor no tornozelo
        • Artrite
        • Contratura do tendão de Aquiles
        • Deslocamento
        • Fratura
        • Tenossinovite
        • Torção
      • Dor no quadril
        • Artrite
        • Bursite
        • Deslocamento
        • Fratura
        • Necrose avascular
        • Sépsis
        • Tumor
      • Dor no pé
        • Artrite
        • Calo ou calosidade
        • Dedo em martelo
        • Deslocamento
        • Doença de Köhler
        • Doença vascular oclusiva DAOP / Aterosclerose
        • Fasciite plantar
        • Fratura
        • Hálux rigido
        • Joanete
        • Neuroma de morton
        • Pé plano
        • Radiculopatia
        • Síndrome do túnel do tarso
        • Tabes dorsalis
        • Unha encravada
        • Verruga plantar
      • Dor no joelho
        • Artrite
        • Bursite
        • Cisto poplíteo
        • Condromalácia
        • Contusão
        • Deslocamento
        • Flebite
        • Fratura
        • Infecção
        • Lesão do menisco
        • Lesão do ligamento cruzado
        • Osteocondrite dissecante
        • radiculopatia
        • Ruptura do mecanismo extensor
        • Torção
      • Dor em coxa
        • Dor ardente em coxa, meralgia parestésica
Tags: dorsintomas Select ratingGive Causas de Dor nas pernas 1/5Give Causas de Dor nas pernas 2/5Give Causas de Dor nas pernas 3/5Give Causas de Dor nas pernas 4/5Give Causas de Dor nas pernas 5/5 No votes yet
Categorias: Medicina

Vasinhos e varizes

Vascular Pro - qui, 10/04/2018 - 16:17

O que são vazinhos?
 

  • São capilares da pele que se dilatam
  • Tem cor avermelhada ou arroxeada
  • Sua espessura é a de um fio de cabelo
  • Podem aparecer em diferentes locais do corpo, como rosto, colo, seio, abdômem, costas, pernas e pés.
  • Não causam danos à saúde e geralmente não há cor,
  • Veja mais sobre teleangiectasias e vasinhos aqui

 
O que são varizes?
 

  • São veias superficiais que ficam grossas e deformadas
  • Tem cor roxo-azulada ou esverdeada
  • Surgem ao longo das pernas e dos pés
  • As que mais causam problemas são as safenas (são duas em cada perna)
  • Podem causar dor, inchaço, feridas e trombose (coágulo sanguíneo)
  • veja mais sobre varizes aqui

 
Fatores de risco

  • Genética
  • Ficar muito tempo em pé ou sentado
  • Sobrepeso
  • Gravidez
  • Anticoncepcionais apenas no caso das varizes

 
 
 

Tags: vascularvasinhosvarizesvenoso Select ratingGive Vasinhos e varizes 1/5Give Vasinhos e varizes 2/5Give Vasinhos e varizes 3/5Give Vasinhos e varizes 4/5Give Vasinhos e varizes 5/5 Sem avaliações
Categorias: Medicina

Vasinhos e varizes

Vascular Pro - qui, 10/04/2018 - 16:17

O que são vazinhos?
 

  • São capilares da pele que se dilatam
  • Tem cor avermelhada ou arroxeada
  • Sua espessura é a de um fio de cabelo
  • Podem aparecer em diferentes locais do corpo, como rosto, colo, seio, abdômem, costas, pernas e pés.
  • Não causam danos à saúde e geralmente não há cor,
  • Veja mais sobre teleangiectasias e vasinhos aqui

 
O que são varizes?
 

  • São veias superficiais que ficam grossas e deformadas
  • Tem cor roxo-azulada ou esverdeada
  • Surgem ao longo das pernas e dos pés
  • As que mais causam problemas são as safenas (são duas em cada perna)
  • Podem causar dor, inchaço, feridas e trombose (coágulo sanguíneo)
  • veja mais sobre varizes aqui

 
Fatores de risco

  • Genética
  • Ficar muito tempo em pé ou sentado
  • Sobrepeso
  • Gravidez
  • Anticoncepcionais apenas no caso das varizes

 
 
 

Tags: vascularvasinhosvarizesvenoso Select ratingGive Vasinhos e varizes 1/5Give Vasinhos e varizes 2/5Give Vasinhos e varizes 3/5Give Vasinhos e varizes 4/5Give Vasinhos e varizes 5/5 No votes yet
Categorias: Medicina

Doação de óvulos

Fertilidade - qui, 10/04/2018 - 15:55
Doação de óvulos

Algumas mulheres não podem produzir óvulos, geralmente porque seus ovários não estão funcionando ou foram removidos. Se você está nessa situação, você pode desejar considerar receber doação de óvulos – ou seja, usar óvulos de outra mulher – para engravidar.

Você deve ser indicada para essa opção se:

  • seus ovários pararam de funcionar mais cedo, ou após a quimioterapia ou radioterapia ou
  • você tem uma anormalidade no cromossomo, como síndrome de Turner ou
  • seus ovários foram removidos.

Também pode ser indicado esta opção se você não teve sucesso com a FIV ou se há um alto risco de transmitir uma doença genética para seus filhos.

Se está considerando receber doação de óvulos, o especialista em reprodução humana vai aconselhar sobre o que o tratamento vai significar para você, para as crianças que você já tem, e para todas as crianças que você pode ter como resultado do tratamento.

Doando seus óvulos

Se você está considerando doar seus óvulos, seu médico deve oferecer à você informações sobre os riscos associados com a estimulação ovariana e a coleta de óvulos. Todos as doadoras de óvulos em potencial devem conversar com médico responsável para ajudá-las a pensar sobre as implicações da doação para si, seus próprios filhos e quaisquer crianças que possam ter como resultado da doação.

Ocasionalmente, uma mulher em tratamento de fertilidade pode optar por doar alguns dos seus óvulos em troca de um benefício, como a FIV com desconto. Seus óvulos são então doados para uma mulher que é incapaz de produzir seus próprios óvulos. Isso às vezes é chamado de "partilha de óvulos". Qualquer pessoa que esteja considerando tomar parte em tal procedimento deve ser indicada à oportunidade de ver um conselheiro independente para falar sobre o que isso significará para elas.

tratamentodoaçãoO que você achou deste conteúdo?:  0 No votes yet
Categorias: Medicina

Qual a relação entre obesidade e infertilidade?

Fertilidade - qui, 09/27/2018 - 16:31

Perder peso para engravidar

A obesidade é medida na prática com uma conta que usa o valor do peso e da altura. Essa conta representa um índice chamado índice de massa corporal ou IMC, de modo que quanto mais alto o índice mais acima do peso ideal a pessoa está. Esse excesso de peso já está associado aos mais diversos problemas de saúde, sendo considerado, por si só, uma condição que merece tratamento. Inúmeras pesquisas são feitas atualmente para compreender qual a relação entre a obesidade e a infertilidade. Será que, como a maioria dos aspectos da saúde humana, a capacidade reprodutiva também é negativamente influenciada por ela?
Um estudo* recentemente publicado na revista “Obstetrics and Gynecology Clinics of North America” procurou compreender melhor essa possível associação. Nele foi explicado que o tecido adiposo produz substâncias chamadas adipocinas, que influenciam a boa comunicação entre as células do corpo. Com essa comunicação dificultada, fica mais complicado executar corretamente as suas funções; essa influência pode inclusive ser exercida sobre as regiões do cérebro responsáveis pelo controle do ciclo ovulatório.
O tecido adiposo em excesso é considerado tóxico para o organismo porque também permite que a gordura seja estocada em diferentes células e tecidos, inclusive nos óvulos, afetando a sua qualidade.
O ciclo menstrual irregular, que pode estar presente em mulheres obesas, reflete o controle desregulado do organismo sobre a ovulação, mas parece que mesmo aquelas com o ciclo regular demoram mais para conseguir engravidar, assim como as chances de abortamento nessas mulheres também parecem ser maiores.
O aconselhamento por médico especialista antes da gravidez é muito importante para orientar a paciente obesa em relação a maneiras de como promover a sua capacidade reprodutiva, inclusive para aquelas que irão se submeter a tratamentos para infertilidade. Embora a perda de peso melhore de modo geral a função dos ovários e o desfecho da gravidez, o tratamento dessas pacientes deve ser individualizado, isto é, “cada caso é um caso”.

 

Veja também: Lipedema

*Obstet Gynecol Clin N Am 39 (2012) 479–493

Fonte: Amato, JLS. Em Busca Da Fertilidade. 2014

obesidadetratamentoO que você achou deste conteúdo?:  5 Average: 5 (1 vote)
Categorias: Medicina

Aorta e aneurisma

Vascular Pro - qua, 09/19/2018 - 11:41

A Aorta é a maior artéria do organismo e transporta o sangue do coração para o resto do corpo
 
O que é um Aneurisma?
Os aneurismas são definidos como uma dilatação localizada e permanente de uma artéria e resultam do enfraquecimento da parede dessa artéria.
O Aneurisma da Aorta Abdominal (AAA)
O Aneurisma da Aorta Abdominal é o mais frequente dos aneurismas arteriais, sendo uma das causas de morte súbita. Essa doença afeta mais de 700 mil pessoal, na Europa, e é a 12ª causa de morte.
Aneurismas da Aorta
É uma doença grave e silenciosa
A ruptura de um aneurisma é quase sempre fatal.
Menos de 50% dos casos de ruptura chegam vivos ao hospital.
Se tiver um dos seguintes fatores de risco, informe-se junto ao seu médico:

 

Tags: aneurismaarterialvascular Select ratingGive Aorta e aneurisma 1/5Give Aorta e aneurisma 2/5Give Aorta e aneurisma 3/5Give Aorta e aneurisma 4/5Give Aorta e aneurisma 5/5 Average: 5 (1 vote)
Categorias: Medicina

Aorta e aneurisma

Vascular Pro - qua, 09/19/2018 - 11:41

A Aorta é a maior artéria do organismo e transporta o sangue do coração para o resto do corpo
 
O que é um Aneurisma?
Os aneurismas são definidos como uma dilatação localizada e permanente de uma artéria e resultam do enfraquecimento da parede dessa artéria.
O Aneurisma da Aorta Abdominal (AAA)
O Aneurisma da Aorta Abdominal é o mais frequente dos aneurismas arteriais, sendo uma das causas de morte súbita. Essa doença afeta mais de 700 mil pessoal, na Europa, e é a 12ª causa de morte.
Aneurismas da Aorta
É uma doença grave e silenciosa
A ruptura de um aneurisma é quase sempre fatal.
Menos de 50% dos casos de ruptura chegam vivos ao hospital.
Se tiver um dos seguintes fatores de risco, informe-se junto ao seu médico:

 

Tags: aneurismaarterialvascular Select ratingGive Aorta e aneurisma 1/5Give Aorta e aneurisma 2/5Give Aorta e aneurisma 3/5Give Aorta e aneurisma 4/5Give Aorta e aneurisma 5/5 Average: 5 (1 vote)
Categorias: Medicina

Inseminação de Doador

Fertilidade - qua, 09/19/2018 - 11:02
Inseminação

de doador

Isso envolve usar sêmen doado por outro homem. Como um casal, vocês podem decidir considerar inseminação de doador como uma alternativa para a injeção intracitoplasmática de espermatozoides (ICSI). Seu médico deve oferecer ambas as opções e explicar as vantagens e desvantagens de cada um. Sêmen doado pode ser usado para FIV se necessário.

Você pode ser indicado à inseminação de doador, se:

  • Há poucos espermatozoides no seu sêmen ou eles são de baixa qualidade e você decidiu fazer ao invés de realizar a ICSI ou
  • Você não tem espermatozoides no seu sêmen.

Você também pode ser indicado para inseminação de doador se tiver doença genética que poderia ser transmitida à criança, uma doença infecciosa que poderia ser transmitida à mulher ou à criança, ou se você e os grupos sanguíneos da sua parceira não são compatíveis.

Se você está considerando a inseminação de doador deve ser encaminhado para aconselhamento sobre as implicações para você e para as crianças que você puder ter. Todos os potenciais doadores de sêmen também devem ser indicados para aconselhamento independente para ajudá-los a pensar sobre as implicações da doação para si, seus próprios filhos e quaisquer crianças que possam ter como resultado da doação de sêmen.

Para as mulheres, antes de iniciar o tratamento com a inseminação do doador deve ser oferecido testes para confirmar que você está ovulando. Deve ser indicado exames para verificar suas trompas de falópio se houver algo no seu histórico médico que sugira que elas possam estar danificadas.

Se você estiver ovulando regularmente, deve ser indicada pelo menos 6 ciclos de inseminação de doador. Para reduzir o risco de gravidez múltipla pode ser indicada para uma inseminação 'não estimulada', que significa que você não receberá medicamentos de fertilidade para estimular seus ovários durante o tratamento. Você deve fazer inseminação intra-uterina em vez de inseminação intra-cervical porque isso pode dar uma chance maior de engravidar.

Se você não tiver engravidado após 3 ciclos de inseminação de doador, pode ser indicado exames para verificar suas trompas de falópio, se estes não tiverem sido feitos antes.

tratamentoinseminaçãoinseminação vitroO que você achou deste conteúdo?:  0 No votes yet
Categorias: Medicina

HIV e gestação

Fertilidade - qua, 09/19/2018 - 11:02
HIV na gestação

como lidar

Esta informação é para você que foi diagnosticada com HIV (vírus de imunodeficiência humana) e está grávida ou planejando ter um bebê. Se você é um parceiro, parente ou amigo de alguém que está nesta situação, pode também ser útil. (Veja HIV no tratamento da infertilidade e reprodução humana)

Aqui você verá:

  • o que o HIV pode significar para você e seu bebê
  • quais são as maneiras mais eficazes de:
    • proteger o seu bebê no útero, durante o parto e nas primeiras semanas de vida
    • tratar-se durante a gravidez e trabalho de parto
  •  sobre o planejamento para a gravidez.

O que é HIV e o que isso pode significar para o meu bebê?

O HIV é um tipo de vírus chamado de retrovírus que impede o sistema imunológico do corpo de funcionar corretamente e dificulta a luta contra infecções. Se você tem o vírus, isso é reportado como sendo HIV positivo. O vírus pode ser transmitido de uma pessoa para outra através da troca de fluidos corporais, incluindo sangue, sêmen, fluídos vaginais e leite materno. Você pode passar o vírus para seu bebê através da placenta durante a gravidez, durante o nascimento e através do seu leite materno. O cuidado que você receberá visa reduzir o risco de transmitir o HIV para seu bebê. 

Que extras no pré-natal posso esperar se eu sou HIV positiva?

Cuidados especializados e verificações regulares de saúde devem ser realizados. Você deve ser cuidada por uma equipe de especialistas que inclui:

  • médico que se especializa em HIV, o infectologista
  • obstetra (médico especializado no tratamento de mulheres grávidas)
  • pediatra (médico especializado na saúde da criança).

Você e seu bebê deverão ser monitorados durante a gravidez, e isto pode incluir exames de ultra-som extras.

A quantidade de vírus (carga viral) e anticorpos para HIV (CD4) em seu sangue será monitorada, assim como serão os níveis de drogas se você estiver em tratamento.

Infecção e vacinação

Se você é HIV positiva, é importante saber se você é imune a certas infecções. Como outras mulheres grávidas, você será recomendada a fazer exames no início da gravidez para hepatite B, rubéola e sífilis. No entanto, você também será indicada a exames para hepatite C, varicela-zoster/catapora, sarampo e toxoplasmose.

Mulheres grávidas são indicadas para a vacina contra coqueluche. Você também será recomendada a ter vacinação para hepatite B (se você não está imune), para vacina da gripe e pneumococo (nos meses de Outono/Inverno). Estas são seguras na gravidez.

As vacinas para a varicela, sarampo, caxumba e rubéola não são seguras na gravidez e, portanto, serão oferecidas após o nascimento do seu bebê, se você não está imune.

Se você estiver recebendo tratamento para o HIV para a sua própria saúde, você pode ser recomendada a tomar antibióticos para reduzir as chances de desenvolver uma pneumonia.

Você deve ser indicada a usar um cotonete para infecções vaginais logo cedo na gravidez e depois novamente em torno de 28 semanas de sua gravidez. Se o cotonete mostrar infecção, deve ser oferecido tratamento para reduzir o risco de passar o HIV para seu bebê.

Síndrome de Down

Todas as mulheres são indicadas para um exame de triagem para a síndrome de Down. Se seu exame mostra que está em risco aumentado de ter um bebê com síndrome de Down, você será encaminhada para uma unidade de medicina fetal para discutir suas opções adicionais. Há um risco de que os testes possam transferir HIV para seu bebê. Isto será discutido com você totalmente.

Diabetes gestacional

Se estiver tomando certos medicamentos para o HIV no início da gravidez, você pode ser aconselhada a fazer um exame para diabetes gestacional (diabetes que é diagnosticada pela primeira vez na gravidez) entre 24 e 28 semanas. 

Posso reduzir a chance de passar o HIV para meu bebê?

Sim. Você pode reduzir significativamente o risco de passar HIV para seu bebê se você:

  • tiver tratando com drogas anti-retrovirais (veja abaixo)
  • evitar o aleitamento materno e optar por alimentar seu bebê com leite em fórmula
  • tiver uma cesariana, se sua equipe especializada recomendar.

Devo ter tratamento anti-retroviral na gravidez?

Sim. As drogas usadas para tratar a infecção pelo HIV são conhecidas como anti-retrovirais. Às vezes três ou mais tipos são usados juntos, o que é conhecido como terapia anti-retroviral altamente ativa (HAART). Seus médicos lhe oferecerão anti-retrovirais durante a gravidez e no nascimento de seu bebê (se já não estiver a tomá-los), para ajudar a reduzir a chance de passar o vírus para seu bebê. O tratamento anti-retroviral também pode ser benéfico para a sua saúde.

Se você não tiver tratamento anti-retroviral, há um risco muito maior de que você vá passar o vírus para seu bebê.

Tratamento anti-retroviral é seguro na gravidez?

Para você

Medicamentos anti-retrovirais são geralmente seguros, mas eles às vezes podem ter efeitos colaterais, incluindo problemas de estômago e digestivos, diabetes, erupções cutâneas, cansaço extremo, alta temperatura e falta de ar. É importante que informe o seu médico se você experimentar qualquer sintoma incomum enquanto estiver grávida.

Retrovirais às vezes também podem causar problemas hepáticos. Se você iniciou o HAART na gravidez, você deve fazer regularmente exames de sangue para verificar se seu fígado está funcionando normalmente. Algumas drogas podem reduzir os níveis de ferro no sangue (anemia) e você pode ser aconselhada a ter suplementos de ferro.

Você fica mais propensa a entrar em trabalho de parto mais cedo, se estiver tomando o HAART.

Para seu bebê

O tratamento anti-retroviral em si não parece ser prejudicial para os bebês. Não tomar a medicação é muito mais provável que seja prejudicial para seu bebê, porque o risco de transmitir o HIV para seu bebê será muito maior.

Que tratamento anti-retroviral devo fazer?

Você será recomendada a tomar os medicamentos, considerados o melhores para você. Também será informado quando deve começar e parar de tomá-los. 

Você já está tomando anti-retrovirais

Seus médicos recomendarão que você tome HAART durante a gravidez e depois de ter tido seu bebê. Se você esta tomado antes da gravidez, você não deve parar a medicação.

Você não está tomando anti-retrovirais

Deve ser indicado o tratamento para parar de passar o vírus para seu bebê. O tratamento usual é o HAART, conforme descrito acima. O tratamento com uma única droga anti-retroviral (zidovudina) pode considerar-se se sua carga viral for inferior a 10000, sua contagem de CD4 é de mais de 350 e se estiver preparada para ter uma cesariana.

Seu médico geralmente irá recomendar que você comece o tratamento entre 14 e 24 semanas de gravidez e continue até seu bebê nascer.

Qual é a melhor maneira de dar a luz ao meu bebê?

Sua equipe irá discutir com você a melhor maneira de dar à luz. O tratamento que você está tomando, sua carga viral e CD4 contam com 36 semanas e as gestações anteriores serão levadas em conta.

  • Você deve ser capaz de ter um parto vaginal, mesmo se você teve uma cesariana antes, se você estiver tomando o HAART, e tiver carga viral inferior a 50 e uma contagem de CD4 com mais de 350.
  • Se estiver tomando HAART e sua carga viral está entre 50 e 399, seus médicos podem recomendar uma cesariana, geralmente com 38 semanas. Isso vai depender do padrão de sua carga viral, há quanto tempo você esteve em tratamento e seus desejos.
  • Será informada que é melhor uma cesariana, geralmente com 38 semanas, se:
    • estiver tomando o HAART e tem uma carga viral de 400 ou mais
    • estiver tomando zidovudina sozinha
    • o vírus da hepatite C for detectado em seu sangue.

Se os seus médicos aconselham cesariana planejada, mas você quer um parto vaginal, sua vontade pode ser respeitada. No entanto, como com todas as mulheres, se há preocupações sobre você e seu bebê durante o trabalho de parto, pode ser necessária uma cesariana de emergência.

Para qualquer método que você escolher, uma amostra de seu sangue deve ser tomada no momento do nascimento para verificar a quantidade de vírus em seu sangue.

O que acontece se eu tenho uma cesariana planejada?

Se você estiver tomando o HAART, deve continuar a tomar como recomendado pelo seu médico.

Deve ser prescrita a zidovudina através de um soro, que será iniciado algumas horas antes de sua cesariana. Isso deve continuar até que seu bebê nasça e o cordão umbilical tenha sido fixado.

Porque é provável que você tenha sua cesariana antes de 39 semanas, deve ser indicada a um curso de duas a quatro injeções de corticoide durante um período de 48 horas para diminuir a chance de problemas respiratórios para o seu bebê. V

Se suas contrações começarem antes da sua cesariana planejada, vá direto para o hospital. A cesariana será feita assim que possível. Ocasionalmente, o trabalho de parto pode estar muito avançado e pode ser mais seguro para você e seu bebê ter um parto vaginal.

O que acontece se eu tiver um parto vaginal planejado?

Você deve receber tratamento HAART durante todo seu trabalho de parto. Quanto antes a sua bolsa estourar durante o trabalho de parto, maior o risco de transmitir o HIV para seu bebê.

Deve ser prescrita para uma infusão de zidovudina se sua bolsa rompeu ou se há o conhecimento de que tem uma carga viral muito alta.

Se passar da sua data de nascimento programada e sua carga viral não puder ser detectada, é possível ter o trabalho de parto iniciado (induzido).

E se minha bolsa estourar mais cedo?

Depois de 37 semanas

  • Parto vaginal planejado

Se sua bolsa estourar antes de você ir para o trabalho de parto e sua carga viral está a menos de 50, pode ser possível induzir o trabalho de parto com um soro para começar as contrações. Isto será iniciado imediatamente.

  • Cesariana planejada

Se sua bolsa estourar antes de sua cesariana planejada, vá direto para o hospital.

A cesariana será feita logo que possível.

 

Antes de 37 semanas

Se sua bolsa estourar antes de iniciarem suas contrações, sua equipe irá avaliar se seria melhor para seu bebê nascer, em vez de esperar. Isso vai depender de quão longe você está em sua gravidez e seu risco individual de transmitir o HIV para o seu bebê. 

Qual tratamento o meu bebê vai precisar após o nascimento?

Seu bebê deve receber medicamentos anti-retrovirais dentro de 4 horas e este deve ser continuado até que ele ou ela esteja entre 4 e 6 semanas de idade.

Seu bebê será testado para o HIV nos primeiros 2 dias, na alta do hospital, com 6 semanas e com 12 semanas. Se estes exames derem negativo e você não estiver amamentando, seu bebê não tem HIV. Será feito mais um exame para confirmar quando seu bebê tiver 18 meses de idade.

Qual é a melhor maneira de alimentar meu bebê?

Você pode reduzir significativamente o risco de transmitir o HIV, se você não amamentar e não usar seu próprio leite materno. Este é o meio mais importante de reduzir o risco do seu bebê. Se você é HIV positiva, é mais seguro usar leite de fórmula.

Ninguém será informado sobre meu status de HIV?

Sua equipe de saúde precisa estar ciente de que você é HIV positiva, para que possam fornecer o melhor cuidado possível para você e seu bebê. Essa informação constará em seu prontuário médico, de acesso restrito.

Se você ainda não disse a seu parceiro sexual que você é HIV positiva, a equipe irá incentivar e apoiar você para fazê-lo, a fim de reduzir o risco de transmissão.

Eles não devem contar a ninguém sobre seu estado de HIV sem sua permissão. Devem respeitar o seu direito à confidencialidade e usar do cuidado e sensibilidade, onde poderiam ser divulgadas informações sobre você para o seu parceiro ou parentes.

A única exceção é se você está colocando seu parceiro em risco. Nestas circunstâncias, os profissionais de saúde podem dizer ao parceiro sexual sobre seu estado de HIV. Mas sua equipe de saúde deve discutir isso com você primeiro. Eles devem ponderar os riscos envolvidos para você (por exemplo, violência e/ou abuso) antes de decidirem o que fazer.

O que devo fazer se eu estou planejando ter um bebê?

  • Se você ou seu parceiro é HIV positivo, deve ser informada sobre as práticas de sexo mais seguras e o uso de preservativos para prevenir a transmissão do HIV.
  • Você deve ser encaminhada para aconselhamento pré-gestacional e para conselhos sobre opções de concepção com uma equipe, que deve incluir um especialista em fertilidade e um especialista em HIV.
  • Você será aconselhada a esperar até que sua carga viral esteja baixa e para garantir que qualquer infecção seja tratada.
  • Todas as mulheres são aconselhadas a tomar ácido fólico (400 microgramas diários) por 3 meses antes de ficarem grávidas. Se estiver a tomar cotrimoxazol, você será aconselhada a tomar a dose mais elevada de ácido fólico (5 mg por dia).
  • Se o parceiro masculino for HIV positivo:
    • o risco de transmitir o HIV para a mulher é quase zero se ele estiver tomando o HAART, teve uma carga viral de menos de 50 por pelo menos 6 meses e não tem outras infecções e tem relação desprotegida apenas na época fértil do ciclo da mulher; nesta situação, a lavagem de esperma não pode reduzir o risco de transmissão do HIV e pode realmente reduzir a probabilidade de engravidar
    • você pode desejar considerar a concepção assistida com lavagem de esperma ou o esperma de um doador, se há uma grande chance de transmissão do HIV.

Há mais alguma coisa que eu deva saber?

Se você é HIV positiva, você deve obter aconselhamento contraceptivo de uma equipe especializada depois de ter tido seu bebê.

Mulheres com infecção pelo HIV são recomendadas a fazer esfregaços cervicovaginais anuais (papanicolau).

HIVgestaçãoO que você achou deste conteúdo?:  0 No votes yet
Categorias: Medicina

Cirurgia de Varizes com Laser

Vascular Pro - qui, 09/13/2018 - 07:52
Cirurgia de Varizes com Laser

 

Com o avanço tecnológico, os procedimentos cirúrgicos tendem a se tornar cada vez mais seguros e menos invasivos. A cirurgia minimamente invasiva, feita por incisões cada vez menores, diminui a agressão ao organismo. Cirurgias antes realizadas sob anestesia geral, em que os pacientes eram abertos para a retirada de órgãos doentes, foram substituidas por técnicas que permitem o tratamento com o paciente acordado, ou apenas sedado.
O Laser vascular foi desenvolvido para termocoagular as células endoteliais da veia, causando fechamento do vaso doente. A lesão térmica causa trombose controlada do vaso e posteriormente ocorre sua reabsorção. Outro mecanismo de ação é a contração do colágeno por coagulação proteica, que ocorre por volta de 50˚C.
A lesão térmica e a contração do colágeno atuam juntamente para a destruição e reabsorção da veia, retirando-a de circulação e eliminando o problema venoso decorrente da insuficiência valvular e varizes.

A cirurgia de varizes a laser pode não ser adequada a todos os casos. Portanto consulte seu cirurgião vascular para saber mais a respeito.

Vantagens da a cirurgia de varizes a Laser:

  • menor trauma operatório,
  • melhor evolução, 
  • excelente eficácia (96%) a curto prazo,
  • procedimento mais rápido,
  • menor incidência de complicações,
  • menor gravidade das complicações, 
  • retorno às atividades em até 2 ou 3 dias 


Recomenda-se para um resultado mais duradouro a utilização do laser em associação à fleboextração de pequenos vasos (microcirurgia dos vazinhos) e/ou o CLaCS (criolaser com crioglicose):

Veja no vídeo abaixo o método de funcionamento do laser, que tem a propriedade de ser absorvido apenas pelo tecido e pigmento adequado:

Tire todas suas dúvidas sobre varizes aqui:

Aqui estamos falando da cirurgia com laser para tratar varizes, ou seja, do laser emitido por dentro da veia. As técnicas de escleroterapia, principalmente CLaCs utiliza o laser por fora da pele para tratar vasinhos e algumas varizes menores.

 

 

* não é leiser heim pessoal, e muito menos lazer (lazer é diversão)

(function() { var _fbq = window._fbq || (window._fbq = []); if (!_fbq.loaded) { var fbds = document.createElement('script'); fbds.async = true; fbds.src = '//connect.facebook.net/en_US/fbds.js'; var s = document.getElementsByTagName('script')[0]; s.parentNode.insertBefore(fbds, s); _fbq.loaded = true; } _fbq.push(['addPixelId', '617007545111529']); })(); window._fbq = window._fbq || []; window._fbq.push(['track', 'PixelInitialized', {}]); vasinhosvarizesvenosolaservazinhos Select ratingGive Cirurgia de Varizes com Laser 1/5Give Cirurgia de Varizes com Laser 2/5Give Cirurgia de Varizes com Laser 3/5Give Cirurgia de Varizes com Laser 4/5Give Cirurgia de Varizes com Laser 5/5 Average: 5 (1 vote)
Categorias: Medicina

Páginas

Subscrever Frases Fortes agregador - Medicina

Não perca Frases do Einstein selecionadas a dedo.

Conhece alguma frase legal? Envie-nos.

Vote agora nas frases e citações que você mais gosta.

delorean