Leitor de feeds

Posso doar minha meia elástica?

Vascular Pro - qui, 01/18/2018 - 13:08

O Dr Alexandre Amato (CRM 108651) explica porque a meia elástica para o tratamento da insuficiência venosa é de uso pessoal. Não é possível doar sua meia, ou mesmo usar a meia de outra pessoa.

Tags: videoamatotvvarizesmeia elástica Select ratingGive Posso doar minha meia elástica? 1/5Give Posso doar minha meia elástica? 2/5Give Posso doar minha meia elástica? 3/5Give Posso doar minha meia elástica? 4/5Give Posso doar minha meia elástica? 5/5 No votes yet
Categorias: Medicina

Posso doar minha meia elástica?

Vascular Pro - qui, 01/18/2018 - 13:08

O Dr Alexandre Amato (CRM 108651) explica porque a meia elástica para o tratamento da insuficiência venosa é de uso pessoal. Não é possível doar sua meia, ou mesmo usar a meia de outra pessoa.

Tags: videoamatotvvarizesmeia elástica Select ratingGive Posso doar minha meia elástica? 1/5Give Posso doar minha meia elástica? 2/5Give Posso doar minha meia elástica? 3/5Give Posso doar minha meia elástica? 4/5Give Posso doar minha meia elástica? 5/5 No votes yet
Categorias: Medicina

Endometrioma: cistos de endometriose no ovário

Fertilidade - ter, 01/16/2018 - 14:41
Endometrioma

Endometrioma são cistos de endometriose no ovário. Esses cistos têm um conteúdo achocolatado e podem ser chamados de cistos de chocolate. Pacientes com endometriose no estado avançado normalmente podem ter esses endometriomas que alteram a reserva folicular da mulher e com isso diminuir sua reserva ovariana. Assista ao vídeo e veja mais detalhes com a Dra. Juliana Amato (CRM 106072).

endometriomavídeoamatotvO que você achou deste conteúdo?:  0 No votes yet
Categorias: Medicina

Miomas: tumores benignos causados por disfunções hormonais

Fertilidade - ter, 01/16/2018 - 14:34

Miomas uterinos são tumores benignos que aparecem de 20 a 40% das mulheres em idade reprodutiva. Eles acontecem mais entre as idades de 30 a 50 anos, e podem ser afetadas por disfunções hormonais e de origem genética. Os miomas uterinos estão associados com o aumento do crescimento do útero, aumento do fluxo menstrual e pode estar relacionado a infertilidade. Assista ao vídeo e saiba as regiões que podem ser afetadas pelos miomas com a Dra. Juliana Amato (CRM 106072).

miomasvídeoamatotvO que você achou deste conteúdo?:  0 No votes yet
Categorias: Medicina

Aplicação de anticoagulante: tratamento para trombofilia e trombose

Vascular Pro - ter, 01/16/2018 - 14:17

Várias pessoas precisam usar anticoagulante por diversos motivos, entre eles, gestantes e pacientes com trombofilia e trombose. A técnica de aplicação, ou de autoaplicação, é muito importante, e deve ser feita de maneira subcutânea se for realizada pelo paciente. A melhor região para a aplicação é a abdominal, além de ser primordial a limpeza da área antes da injeção de anticoagulante. Assista ao vídeo e saiba mais com o Dr. Alexandre Amato (CRM 108.651).

Tags: vascularamatotvvideoantocoagulantedicatrombose Select ratingGive Aplicação de anticoagulante: tratamento para trombofilia e trombose 1/5Give Aplicação de anticoagulante: tratamento para trombofilia e trombose 2/5Give Aplicação de anticoagulante: tratamento para trombofilia e trombose 3/5Give Aplicação de anticoagulante: tratamento para trombofilia e trombose 4/5Give Aplicação de anticoagulante: tratamento para trombofilia e trombose 5/5 Average: 5 (1 vote)
Categorias: Medicina

Aplicação de anticoagulante: tratamento para trombofilia e trombose

Vascular Pro - ter, 01/16/2018 - 14:17

Várias pessoas precisam usar anticoagulante por diversos motivos, entre eles, gestantes e pacientes com trombofilia e trombose. A técnica de aplicação, ou de autoaplicação, é muito importante, e deve ser feita de maneira subcutânea se for realizada pelo paciente. A melhor região para a aplicação é a abdominal, além de ser primordial a limpeza da área antes da injeção de anticoagulante. Assista ao vídeo e saiba mais com o Dr. Alexandre Amato (CRM 108.651).

Tags: vascularamatotvvideoantocoagulantedicatrombose Select ratingGive Aplicação de anticoagulante: tratamento para trombofilia e trombose 1/5Give Aplicação de anticoagulante: tratamento para trombofilia e trombose 2/5Give Aplicação de anticoagulante: tratamento para trombofilia e trombose 3/5Give Aplicação de anticoagulante: tratamento para trombofilia e trombose 4/5Give Aplicação de anticoagulante: tratamento para trombofilia e trombose 5/5 No votes yet
Categorias: Medicina

Úlceras: causas e cuidados

Vascular Pro - ter, 01/16/2018 - 14:08

Úlceras são feridas de longas durações de várias causas, as venosas são as mais frequentes. As orientações podem variar conforme o paciente e o médico que estiver atendendo, mas basicamente os cuidados locais da úlcera venosa é deixa-la sempre limpa para evitar infecções. Assista ao vídeo e saiba mais com o Dr. Alexandre Amato (CRM 108.651).

Tags: úlceravideoamatotv Select ratingGive Úlceras: causas e cuidados 1/5Give Úlceras: causas e cuidados 2/5Give Úlceras: causas e cuidados 3/5Give Úlceras: causas e cuidados 4/5Give Úlceras: causas e cuidados 5/5 No votes yet
Categorias: Medicina

Úlceras: causas e cuidados

Vascular Pro - ter, 01/16/2018 - 14:08

Úlceras são feridas de longas durações de várias causas, as venosas são as mais frequentes. As orientações podem variar conforme o paciente e o médico que estiver atendendo, mas basicamente os cuidados locais da úlcera venosa é deixa-la sempre limpa para evitar infecções. Assista ao vídeo e saiba mais com o Dr. Alexandre Amato (CRM 108.651).

Tags: úlceravideoamatotv Select ratingGive Úlceras: causas e cuidados 1/5Give Úlceras: causas e cuidados 2/5Give Úlceras: causas e cuidados 3/5Give Úlceras: causas e cuidados 4/5Give Úlceras: causas e cuidados 5/5 No votes yet
Categorias: Medicina

Dermatite Ocre: manchas nas pernas

Vascular Pro - ter, 01/16/2018 - 14:01

Dermatite Ocre são manchas de tonalidade mostarda, que surgem nas pernas ocasionadas pela insuficiência venosa. Essa insuficiência acaba causando uma hipertensão nas veias resultando no extravasamento do conteúdo do sangue para o subcutâneo desse paciente. Assista ao vídeo e conheça mais detalhes com o Dr. Alexandre Amato (CRM 108.651).

Tags: varizesinsuficiência venosavideoamatotv Select ratingGive Dermatite Ocre: manchas nas pernas 1/5Give Dermatite Ocre: manchas nas pernas 2/5Give Dermatite Ocre: manchas nas pernas 3/5Give Dermatite Ocre: manchas nas pernas 4/5Give Dermatite Ocre: manchas nas pernas 5/5 No votes yet
Categorias: Medicina

Dermatite Ocre: manchas nas pernas

Vascular Pro - ter, 01/16/2018 - 14:01

Dermatite Ocre são manchas de tonalidade mostarda, que surgem nas pernas ocasionadas pela insuficiência venosa. Essa insuficiência acaba causando uma hipertensão nas veias resultando no extravasamento do conteúdo do sangue para o subcutâneo desse paciente. Assista ao vídeo e conheça mais detalhes com o Dr. Alexandre Amato (CRM 108.651).

Tags: varizesinsuficiência venosavideoamatotv Select ratingGive Dermatite Ocre: manchas nas pernas 1/5Give Dermatite Ocre: manchas nas pernas 2/5Give Dermatite Ocre: manchas nas pernas 3/5Give Dermatite Ocre: manchas nas pernas 4/5Give Dermatite Ocre: manchas nas pernas 5/5 No votes yet
Categorias: Medicina

Embolia de miomas: tumores não malignos no útero

Vascular Pro - ter, 01/16/2018 - 13:54

Os miomas são tumores não malignos que nascem na parede do útero. Eles podem causar diversos sintomas que podem variar desde sangramento menstrual exagerado, dor abdominal, entre outras dores que abrangem muitas das queixas femininas. Assista ao vídeo e saiba como eles podem ser tratados com o Dr. Alexandre Amato (CRM 108.651).

Tags: embolizaçãomiomaamatotvvideo Select ratingGive Embolia de miomas: tumores não malignos no útero 1/5Give Embolia de miomas: tumores não malignos no útero 2/5Give Embolia de miomas: tumores não malignos no útero 3/5Give Embolia de miomas: tumores não malignos no útero 4/5Give Embolia de miomas: tumores não malignos no útero 5/5 No votes yet
Categorias: Medicina

Embolia de miomas: tumores não malignos no útero

Vascular Pro - ter, 01/16/2018 - 13:54

Os miomas são tumores não malignos que nascem na parede do útero. Eles podem causar diversos sintomas que podem variar desde sangramento menstrual exagerado, dor abdominal, entre outras dores que abrangem muitas das queixas femininas. Assista ao vídeo e saiba como eles podem ser tratados com o Dr. Alexandre Amato (CRM 108.651).

Tags: embolizaçãomiomaamatotvvideo Select ratingGive Embolia de miomas: tumores não malignos no útero 1/5Give Embolia de miomas: tumores não malignos no útero 2/5Give Embolia de miomas: tumores não malignos no útero 3/5Give Embolia de miomas: tumores não malignos no útero 4/5Give Embolia de miomas: tumores não malignos no útero 5/5 No votes yet
Categorias: Medicina

Video do procedimento de ICSI

Fertilidade - qua, 01/10/2018 - 09:45
Categorias: Medicina

Retrospectiva 2017

Fertilidade - dom, 12/31/2017 - 15:27

2017 será mais um ano que ficará na história da equipe Fertilidade.org. Depois de tantos bebês colocados no mundo, temos que meditar nesse período do ano e traçar a rota que será seguida em 2018, sempre com o objetivo de ajudar mais mulheres a se tornarem mamães. Foi um ano que deixou sua marca, com muitas dificuldades, mas também com muitas vitórias. 
Para nosso site não foi diferente. Mais de 778.829 visitas ao nosso conteúdo, 8566 curtidas no Facebook (curta você também), 8573 seguidores, com avaliação 4,1 estrelas. Criamos uma playlist no Youtube com dicas de Reprodução Humana. Sempre buscando a melhor informação em reprodução humana para você.
Os artigos mais lidos em 2017 foram:

  1. Calculadora de Fertilidade
  2. Como o esperma chega ao óvulo
  3. Calculadora Gestacional
  4. Histerossalpingografia
  5. Reprodução Humana Assistida
  6. Inseminação artificial
  7. Fertilização in vitro (FIV)
  8. Atendimento gratuito para infertilidade
  9. Idade e a Fertilidade feminina
  10. Os principais tratamentos para infertilidade

Os artigos onde os usuários ficaram mais tempo lendo foram:

Se você ainda não leu, não perca a chance de ler os artigos vencedores.

Desejamos a todos muita saúde e muitos bebês em 2018.

 

Equipe Fertilidade.org

retrospectivaartigos
Categorias: Medicina

Tenho que estar menstruando antes de usar Clomid?

Fertilidade - sab, 12/23/2017 - 15:54

É possivel ovular sem a menstruação.

Para muitos casais que sofrem de infertilidade, a jornada do tratamento começa com o Clomid (clomifeno). Essas pílulas da fertilidade estimulam a ovulação, e, quando usadas da maneira correta, indicada e acompanhada por médico especialista em reprodução humana, são seguras e efetivas como primeira linha de tratamento.

Uma das partes mais frustrantes de usar o Clomid é ter que esperar o ciclo menstrual para iniciar a medicação.

Tradicionalmente o Clomid é iniciado no terceiro ou quinto dia do ciclo menstrual, e não é incomum a proibição de medicações tipo progesterona para acelerar a vinda da menstruação. Se você está acompanhando com médico especialista, provavelmente esse será o caminho.

Parece que não é mais necessário ter menstruado para começar com os medicamentos de fertilidade.

Especialistas em fertilidade adotaram uma nova estratégia e maneira de pensar após a publicação de um artigo alguns anos atrás que sugeria que a menstruação não é necessária para que os medicamentos de tratar infertilidade funcionem. Não só isso mas as chances de êxito podem até diminuir se usadas na mestruação. Isso é chamado de "stair step protocol". O que isso significa?

O "Stair Step Protocol"significa menos tempo para fazer você ovular e menor tempo para a concepção.

Então porque meu médico não usa o clomifeno dessa maneira?

A maioria dos ginecologistas está treinada para usar o clomifeno da maneira tradicional, enquanto que os especialistas em reprodução humana estão mais atualizados com os últimos tratamentos e podem oferecer o protocolo mais moderno.

Isso significa que o clomifeno pode começar a qualquer momento?

Não. Seu especialista em reprodução humana deve determinar que não está grávida e ainda não ovulou logo antes do uso das drogas de fetilidade. O uso do medicamento no momento errado do ciclo pode causar mais prejuizo do que benéfices.

Fonte: Clomid stair-step protocol may shorten the time to ovulation but not to pregnancy: a randomized clinical trial Craig, L.B. et al. Fertility and Sterility , Volume 104 , Issue 3 , e97

O que você achou deste conteúdo?:  0 No votes yet
Categorias: Medicina

Lipedema: doença crônica do tecido adiposo

Vascular Pro - seg, 12/18/2017 - 10:59
O Lipedema é uma doença crônica do tecido adiposo, afetando geralmente as pernas, ancas e braços. É caracterizado por uma deposição maior de tecido gorduroso simétrico nos membros inferiores ou superiores, ocorrendo uma assimetria entre tronco e membros. Pode ser hereditária e ocorre quase exclusivamente em mulheres. Assista ao vídeo e veja mais detalhes com o Dr. Alexandre Amato (108651).  

--transcrição--     Olá! Sou doutor Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato e hoje vamos falar sobre lipedema, que é frequentemente confundido com o linfedema. O lipedema é uma doença crônica que atinge na maioria das vezes as mulheres. Aliás, é muito rara em homens.  É uma doença com características genéticas, hereditárias, embora não tenha sido identificado o gene específico, em que ocorre uma deposição maior de tecido gorduroso simétrico nos membros inferiores mais frequentemente, mas também nos membros superiores, ocorrendo uma assimetria entre a deposição de gordura no tronco e abdome com relação aos membros.  Então, são aquelas pessoas que têm as pernas muito gordas e têm dificuldade de perder o peso nas pernas quando fazem dieta, quando fazem exercício. Mas essa gordura também traz outros sintomas, sintomas que incomodam bastante. Sintomas como dor nos tecidos moles, tanto ao toque, com a sensibilidade maior, mas também uma dor generalizada nas pernas. Muitas vezes essa dor acaba se confundindo com outras causas de dor, como uma doença venosa, como o linfedema.  O paciente pode relatar também uma queixa de inchaço. Esses inchaço nas pernas que não diminui, não consegue controlar, pode estar associado ao lipedema.  Facilidade de formar hematomas, equimoses, qualquer pequena pancadinha forma grandes hematomas. Seria uma fragilidade capilar, mas isso também está associada ao lipedema. Normalmente os sintomas ocorrem após grandes alterações hormonais na mulher. Então após a puberdade, após a menopausa ou após uma gestação, pode acabar desencadeando a formação e a deposição de gordura do lipedema.  Existem outros sintomas que não são tão frequentes, mas que também estão associados, mas o importante é a gente diferenciar das outras causas de hedema de membros inferiores. Então a insuficiência venosa crônica, veja nosso vídeo sobre a insuficiência venosa crônica, e o linfedema, sobre o qual também temos um vídeo mostrando os principais sintomas.  Qualquer dúvida procure o cirurgião vascular. Se você curtiu esse vídeo, compartilhe. Tags: videolipedemaamatotv Select ratingGive Lipedema: doença crônica do tecido adiposo 1/5Give Lipedema: doença crônica do tecido adiposo 2/5Give Lipedema: doença crônica do tecido adiposo 3/5Give Lipedema: doença crônica do tecido adiposo 4/5Give Lipedema: doença crônica do tecido adiposo 5/5 No votes yet
Categorias: Medicina

Lipedema: doença crônica do tecido adiposo

Vascular Pro - seg, 12/18/2017 - 10:59
O Lipedema é uma doença crônica do tecido adiposo, afetando geralmente as pernas, ancas e braços. É caracterizado por uma deposição maior de tecido gorduroso simétrico nos membros inferiores ou superiores, ocorrendo uma assimetria entre tronco e membros. Pode ser hereditária e ocorre quase exclusivamente em mulheres. Assista ao vídeo e veja mais detalhes com o Dr. Alexandre Amato (108651).  

--transcrição--     Olá! Sou doutor Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato e hoje vamos falar sobre lipedema, que é frequentemente confundido com o linfedema. O lipedema é uma doença crônica que atinge na maioria das vezes as mulheres. Aliás, é muito rara em homens.  É uma doença com características genéticas, hereditárias, embora não tenha sido identificado o gene específico, em que ocorre uma deposição maior de tecido gorduroso simétrico nos membros inferiores mais frequentemente, mas também nos membros superiores, ocorrendo uma assimetria entre a deposição de gordura no tronco e abdome com relação aos membros.  Então, são aquelas pessoas que têm as pernas muito gordas e têm dificuldade de perder o peso nas pernas quando fazem dieta, quando fazem exercício. Mas essa gordura também traz outros sintomas, sintomas que incomodam bastante. Sintomas como dor nos tecidos moles, tanto ao toque, com a sensibilidade maior, mas também uma dor generalizada nas pernas. Muitas vezes essa dor acaba se confundindo com outras causas de dor, como uma doença venosa, como o linfedema.  O paciente pode relatar também uma queixa de inchaço. Esses inchaço nas pernas que não diminui, não consegue controlar, pode estar associado ao lipedema.  Facilidade de formar hematomas, equimoses, qualquer pequena pancadinha forma grandes hematomas. Seria uma fragilidade capilar, mas isso também está associada ao lipedema. Normalmente os sintomas ocorrem após grandes alterações hormonais na mulher. Então após a puberdade, após a menopausa ou após uma gestação, pode acabar desencadeando a formação e a deposição de gordura do lipedema.  Existem outros sintomas que não são tão frequentes, mas que também estão associados, mas o importante é a gente diferenciar das outras causas de hedema de membros inferiores. Então a insuficiência venosa crônica, veja nosso vídeo sobre a insuficiência venosa crônica, e o linfedema, sobre o qual também temos um vídeo mostrando os principais sintomas.  Qualquer dúvida procure o cirurgião vascular. Se você curtiu esse vídeo, compartilhe. Tags: videolipedemaamatotv Select ratingGive Lipedema: doença crônica do tecido adiposo 1/5Give Lipedema: doença crônica do tecido adiposo 2/5Give Lipedema: doença crônica do tecido adiposo 3/5Give Lipedema: doença crônica do tecido adiposo 4/5Give Lipedema: doença crônica do tecido adiposo 5/5 No votes yet
Categorias: Medicina

Erisipela: A infecção que causa vermelhidão na pele

Vascular Pro - seg, 12/18/2017 - 10:55
A erisipela é uma infecção da camada superficial da pele que provoca feridas vermelhas, inflamadas e dolorosas, e se desenvolve principalmente nas pernas, rosto ou braços, apesar de poder surgir em qualquer parte do corpo. Esta doença é mais frequente em pessoas com mais de 50 anos de idade, obesos ou diabéticos. Pode ser causada por uma bactéria específica (Streptcoccus pyogenes), ou por celulites. Assista ao vídeo e veja mais detalhes com o Dr. Alexandre Amato (108651).  

--transcricao--     Olá, sou o doutor Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato e hoje vou falar um pouquinho sobre erisipela. A erisipela é uma infecção extremamente comum em que acaba causando um grande vermelhão na perna. Essa hiperemia, esse vermelhão decorrente de uma infecção por uma bactéria localizada no tecido subcutâneo e derme, em membro inferior.  A erisipela é causada por uma bactéria bem específica, mas existe também a celulite, que aí não é celulite estética que todo mundo fala. A celulite também é uma infecção que pode ocorrer em tecidos subcutâneos e aí por outras bactérias menos graves. Mas as duas funcionam mais ou menos do mesmo jeito, tanto a erisipela, quanto a celulite.  É uma infecção que precisa de uma porta de entrada. Essa porta de entrada normalmente ocorre em pequenas feridas no pé e a ferida mais comum é a micose. Então quem tem uma micose, a gente sabe que a micose ocorre por causa de um fungo. Não é esse fungo que acaba causando a erisipela, mas as pequenas rachaduras, as pequenas feridas acabam sendo então a porta de entrada para essa bactéria que vai desencadear essa infecção.  O paciente que tem então vermelhão na perna por causa de uma erisipela vai ter os sinais sistêmicos de uma infecção. Pode ter febre, pode ter calafrios, pode ter infecção mostrada no sangue também.  E a erisipela deve ser tratada rápida e deve ser tratada com antibiótico sistêmico indicado pelo seu médico. Muito frequentemente os pacientes procuram o cirurgião vascular para o tratamento da erisipela, mas não espere passar até o consultório do cirurgião vascular. Se for demorar muito, vá ao pronto socorro, já inicie o tratamento, que é importante começar cedo, para ter a menor quantidade de dano no nosso sistema linfático possível.  Quem tem a erisipela vai acabar tendo esse dano no tecido linfático, que pode acabar causando inchaço no futuro e predispor a novos eventos de erisipela.  Então se tiver a suspeita, se tiver a dúvida, procure o seu médico o mais rápido possível.  Muito obrigado pela atenção e estamos à disposição. Tags: videoerisipela Select ratingGive Erisipela: A infecção que causa vermelhidão na pele 1/5Give Erisipela: A infecção que causa vermelhidão na pele 2/5Give Erisipela: A infecção que causa vermelhidão na pele 3/5Give Erisipela: A infecção que causa vermelhidão na pele 4/5Give Erisipela: A infecção que causa vermelhidão na pele 5/5 Average: 4 (1 vote)
Categorias: Medicina

Erisipela: A infecção que causa vermelhidão na pele

Vascular Pro - seg, 12/18/2017 - 10:55
A erisipela é uma infecção da camada superficial da pele que provoca feridas vermelhas, inflamadas e dolorosas, e se desenvolve principalmente nas pernas, rosto ou braços, apesar de poder surgir em qualquer parte do corpo. Esta doença é mais frequente em pessoas com mais de 50 anos de idade, obesos ou diabéticos. Pode ser causada por uma bactéria específica (Streptcoccus pyogenes), ou por celulites. Assista ao vídeo e veja mais detalhes com o Dr. Alexandre Amato (108651).  

--transcricao--     Olá, sou o doutor Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato e hoje vou falar um pouquinho sobre erisipela. A erisipela é uma infecção extremamente comum em que acaba causando um grande vermelhão na perna. Essa hiperemia, esse vermelhão decorrente de uma infecção por uma bactéria localizada no tecido subcutâneo e derme, em membro inferior.  A erisipela é causada por uma bactéria bem específica, mas existe também a celulite, que aí não é celulite estética que todo mundo fala. A celulite também é uma infecção que pode ocorrer em tecidos subcutâneos e aí por outras bactérias menos graves. Mas as duas funcionam mais ou menos do mesmo jeito, tanto a erisipela, quanto a celulite.  É uma infecção que precisa de uma porta de entrada. Essa porta de entrada normalmente ocorre em pequenas feridas no pé e a ferida mais comum é a micose. Então quem tem uma micose, a gente sabe que a micose ocorre por causa de um fungo. Não é esse fungo que acaba causando a erisipela, mas as pequenas rachaduras, as pequenas feridas acabam sendo então a porta de entrada para essa bactéria que vai desencadear essa infecção.  O paciente que tem então vermelhão na perna por causa de uma erisipela vai ter os sinais sistêmicos de uma infecção. Pode ter febre, pode ter calafrios, pode ter infecção mostrada no sangue também.  E a erisipela deve ser tratada rápida e deve ser tratada com antibiótico sistêmico indicado pelo seu médico. Muito frequentemente os pacientes procuram o cirurgião vascular para o tratamento da erisipela, mas não espere passar até o consultório do cirurgião vascular. Se for demorar muito, vá ao pronto socorro, já inicie o tratamento, que é importante começar cedo, para ter a menor quantidade de dano no nosso sistema linfático possível.  Quem tem a erisipela vai acabar tendo esse dano no tecido linfático, que pode acabar causando inchaço no futuro e predispor a novos eventos de erisipela.  Então se tiver a suspeita, se tiver a dúvida, procure o seu médico o mais rápido possível.  Muito obrigado pela atenção e estamos à disposição. Tags: videoerisipela Select ratingGive Erisipela: A infecção que causa vermelhidão na pele 1/5Give Erisipela: A infecção que causa vermelhidão na pele 2/5Give Erisipela: A infecção que causa vermelhidão na pele 3/5Give Erisipela: A infecção que causa vermelhidão na pele 4/5Give Erisipela: A infecção que causa vermelhidão na pele 5/5 No votes yet
Categorias: Medicina

Tratamento de Lipedema

Vascular Pro - seg, 12/18/2017 - 10:51
O tratamento do Lipedema é baseado em 5 pilares, que visam oferecer melhor qualidade de vida ao paciente. O mais indicado é a prática de exercícios físicos, terapia de compressão, dieta, medicamentos que ajudam a aliviar os sintomas e a cirurgia para retirar o excesso de tecido gorduroso. Assista ao vídeo e veja mais detalhes com o Dr. Alexandre Amato (108651).  

--transcrição--   Olá! Sou o doutor Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato e hoje vamos falar sobre outros aspectos do lipedema.  A história de quem tem o lipedema muitas vezes é dramática porque não existe um exame único que se faça e que determine a existência do lipedema. Então não tem um exame de sangue, não tem um exame de imagem. E acaba sendo um diagnóstico por exclusão.  Isso quer dizer que muitas pessoas passam a vida toda indo de médico em médico sem ter o diagnóstico do lipedema. E isso traz algumas angústias, algumas dificuldades. São pessoas que muitas vezes tiveram durante a vida tentativas de dieta, de exercício físico para perder peso, via a dificuldade, não conseguia perder o peso e em algum momento acaba desistindo desse tratamento e aí acaba tendo outro problema que é a obesidade.  Então essa sequência pode ocorrer, paciente com lipedema e que acaba tendo a obesidade depois, não por causa do lipedema, mas simplesmente porque deixou de se cuidar.  Agora a pergunta principal é: qual que é o tratamento do lipedema? O tratamento é baseado em cinco pilares. São os cinco pontos principais, não existe um remedinho milagroso, a gente tem que mudar vários aspectos.  O primeiro deles é exercício físico. É necessário fazer exercício físico, mesmo com a dificuldade da perda da gordura em membros inferiores, o exercício físico é muito importante. A terapia de compressão, elassocompressão, inelástica, elástica, tudo isso orientado pelo médico, pode auxiliar. A dieta também é muito importante. O medicamentoso, existem medicamentos que podem melhorar os sintomas e muitas vezes atingindo o objetivo. Mas também existe o tratamento cirúrgico. O tratamento medicamentoso não retira a célula doente. A única maneira de se retirar a célula doente é com a cirurgia. Então é possível cirurgicamente diminuir a quantidade desse tecido gorduroso, pode haver uma melhora estética, mas o objetivo para quem tem lipedema não é o tratamento estético, único e simplesmente, mas sim a diminuição dos sintomas que o lipedema acarreta, principalmente a dor, o inchaço e muito mais.  Então, qualquer dúvida nós estamos à disposição. Se você gostou desse nosso vídeo, curta e siga nosso canal no YouTube. Obrigado! Tags: lipedemavideo Select ratingGive Tratamento de Lipedema 1/5Give Tratamento de Lipedema 2/5Give Tratamento de Lipedema 3/5Give Tratamento de Lipedema 4/5Give Tratamento de Lipedema 5/5 No votes yet
Categorias: Medicina

Páginas

Subscrever Frases Fortes agregador

Não perca Frases do Einstein selecionadas a dedo.

Conhece alguma frase legal? Envie-nos.

Vote agora nas frases e citações que você mais gosta.

delorean