Leitor de feeds

Lipedema: o resumo

Vascular Pro - sex, 01/11/2019 - 17:34

Sobre o lipedema

O lipedema é caracterizado pelo aumento do tecido adiposo nos membros, e esse tecido gordurosos pode ser doloroso. Existe uma ampla diferenciação nas características presentes. A dor pode ser constante, pode ir e vir, ou apenas ocorrer quando o tecido adiposo é pressionado. Pode ser muito leve ou grave. O mecanismo da sensação de dor não é compreendido pela medicina neste momento.
Além disso, muitas pessoas experimentam algum inchaço (edema não depressível).
Para simplificar bem o diagnóstico, procure por um "manguito", uma marca no tornozelo e no pulso e verifique se as mãos e os pés NÃO incham através do teste de Sinal de Stemmer (O chamado sinal de Stemmer é um sinal de diagnóstico confiável para reconhecer o linfedema. Experimente puxar uma prega da pele para cima (por exemplo, por cima de um dedo do pé). Se isso se mostrar difícil, ou mesmo impossível, estamos falando de um "sinal de Stemmer positivo").
A diferenciação entre doença venosa (exame de ultra-sonografia venosa), obesidade (examinar locais de depósito de gordura), linfedema (teste possível via linfocintilografia), lipedema e Doença de Dercum são importantes. 
O que fazer a respeito do lipedema.
Como o lipedema ainda não é bem compreendido, ninguém sabe ainda com certeza o que ajudará melhor as pessoas com lipedema. Os corpos de todos são diferentes e, no momento, não temos nenhuma fórmula única e mágica que funcione para todos. À medida que você for testando e acrescentando à sua vida diferentes tratamentos para ver o que funciona melhor, você deve começar cada terapia nova lentamente, uma de cada vez, para ver se isso ajuda.
NÃO MORRA DE FOME. Coma alimentos de melhor qualidade em uma quantidade saudável.
Não se concentre no peso, mas tente gerenciar o inchaço e o ganho de músculos para sustentar seu corpo e permaneça o mais ativo possível. É importante lembrar que existem algumas categorias de coisas que contribuem para o peso final que aparece na balança: alimentos no trato digestivo, músculo, gordura comum, gordura do lipedema e líquido. Pode ser difícil determinar quais estão mudando. Alimentos e líquidos são mais fáceis de influenciar, depois vem gordura regular, depois músculo, e depois a gordura do lipedema.
Os objetivos do tratamento são: reduzir a inflamação, administrar a dor, melhorar o fluxo linfático (reduzir o excesso de líquido), obter suporte emocional e ajudar seu corpo a lidar com o lipedema. 
Considerando que tratamentos testar, tenha em mente o que é "conservador", ou seja, o que não é cirúrgico, e o que é cirúrgico. Cirurgiões não operarão a menos que você estabeleça primeiro boas rotinas e mostre-se engajada com os tratamentos conservadores. A cirurgia não corrige os problemas subjacentes e você ainda precisará de bons hábitos conservadores após a cirurgia para manter o resultado.
Os tratamentos conservadores podem ser interpretados ​​como mudanças de estilo de vida (melhor nutrição e exercício mais moderado), mecânicos (DLM - Drenagem Linfática Manual, roupas de compressão e bombas de compressão) e suplementos / medicamentos.
Tratamentos que são baratos e fáceis de começar incluem respiração profunda e caminhada.
As sugestões de nutrição variam, mas são geralmente destinadas a comer menos alimentos inflamatórios. Reduzir calorias não reduz a gordura do lipedema, e há evidências crescentes que mostram que a redução de calorias incentiva seu corpo a armazenar mais gordura. Dietas Páleo, cetogênica, LCHF, RAD e anti-inflamatórias são algumas das dietas recomendadas. Um livro de nutrição bem pesquisado foi criado para pacientes com lipedema especificamente; Veja aqui. À medida que você considera diferentes planos de nutrição, faça suas pesquisas para ver o que normalmente acontece se você parar o plano.
As recomendações de exercícios são geralmente: caminhada, exercício na água de qualquer tipo (hidroginástica, natação), Pilates, ciclismo e yoga. Os objetivos são fazer com que o sistema linfático se mova, cuidar de suas articulações se você for hipermóvel e criar força para ajudar a combater o peso extra.
Muitas informações existem sobre tratamentos mecânicos, como MLD, roupas/botas de compressão e bombas. A informação é geralmente destinada a pacientes com linfedema, mas também são frequentemente aplicadas ao lipedema.

A maioria dos medicamentos diuréticos não ajudam a aliviar o inchaço do lipedema e podem causar complicações se usados por muito tempo. Alguns medicamentos para dor aumentam o inchaço, mais notavelmente os AINEs.  
 
Leia também:

Tags: lipedema Select ratingGive Lipedema: o resumo 1/5Give Lipedema: o resumo 2/5Give Lipedema: o resumo 3/5Give Lipedema: o resumo 4/5Give Lipedema: o resumo 5/5 Average: 5 (1 vote)
Categorias: Medicina

Lipedema

Vascular Pro - sex, 01/11/2019 - 17:28

Definição: lipedema (síndrome gordurosa dolorosa) é uma doença crônica que ocorre na maioria das vezes em mulheres. É caracterizada por ser bilateral, com excesso simétrico de tecido gorduroso principalmente nas pernas e tornozelos, combinado a uma tendência de inchaço que piora ao ficar de pé. O lipedema em homens é raro. Frequentemente o lipedema é confundido com o linfedema de membros inferiores ou simplesmente obesidade.

 

Etiologia

A etiologia do lipedema e outros tipos de deposição gordurosa ainda é desconhecido, embora suspeite-se de uma causa genética. Outras possíveis causas de lipedema incluem metabólico, inflamatório e envolvimento hormonal.

 

Sintomas

Sintomas variam de acordo com cada pessoa, e nem todas possuem todos os sintomas

  • Apresentação simétrica, envolvendo ambas as pernas 1
  • Dor em tecido mole no repouso, ao caminhar ou ao tocar. Hipersensibilidade ao toque.1
  • Acúmulo de gordura lipêmica da cintura até os joelhos ou tornozelos, as vezes com uma marca anelar acima do tornozelo, com os pés livres de acometimento2
  • Hiper mobilidade2
  • Coxins gordurosos acima, medial e abaixo dos joelhos e na região lateral alta de coxas1
  • Nodulos gordurosos ou coxins podem aumentar estresse na articulação causando marcha anormal e/ou dor aumentada nas articulações2
  • Problemas nos joelhos que podem levar a alteração da marcha1
  • Acúmulo de gordura lipedêmica nos braços, as vezes com grande quantidade de gordura pendurada quando braço está esticado, pesquisa mostra que entre 30 a 90% das pessoas com lipedema tem braços também afetados2
  • Acúmulo de gordura lipedemica nos braços, causando um efeito de “blusa” com um anel distinto de gordura acima do pulso2
  • Perda da elasticidade da pele1
  • Edema não depressível no inicio; posteriormente pode tornar-se lipo-linfema (estágio IV)1
  • Edema depressível pode ocorrer na ortostase prolongada e melhora ao elevar membros2
  • Dieta de restrição calórica tem pouco efeito na gordura lipedêmica1
  • Hematomas fáceis e frequentes1
  • Sinal de Stemmer negativo nos pés e mãos1
  • Temperatura diminuída nos membros3
  • Cansaço geral3
  • Sensibilidade à pressão3
  • Textura do membro é borrachosa3
  • O inicio dos sintomas ocorrem na puberdade, gravidez ou menopausa1
  • Aparecimento ou exacerbação pode ocorrer após cirurgia com anestesia geral3
  • Pés e mãos geralmente são poupados antes do estagio IV de lipo-linfedema1
  • Estagios iniciais: a parte superior do corpo pode permanecer delgada a medida que o corpo inferior aumenta e a gordura se acumula nos quadris, coxas e pernas1
  • Estagios tardios: gordura lipedemica também pode acumular no peito, torso, abdome e extremidades superiores3
  • Envolvimento linfático evidente nos estágios tardios2
  • Dor crônica e constrangimento pode levar a depressão e/ou transtornos alimentares2,3
  • Deterioração progressiva da mobilidade se não tratado1
  • Gordura torna-se fibrótica4
  • Baixa de vitamina D, ferro e/ou B124
  • Às vezes ocorrem bolsões de gordura/fluido abaixo do joelho3

 

1 – citado em vários trabalhos 2 – citado em alguns trabalhos 3 – respostas em pesquisas com pacientes 4 – relatos de caso

 

Estágios do lipedema

·      Estágio I

  • Pele é lisa/suave
  • O inchaço aumenta durante o dia e pode resolver com o descanso e elevação dos membros
  • Responde bem ao tratamento

·      Estágio II

  • Pele tem marcas “identações”, "celulite"
  • Lipomas podem ocorrer
  • Eczema e erisipelas podem estar presentes
  • Edema aumenta durante o dia, com melhora parcial após repouso e elevação dos membros
  • Pode responder bem ao tratamento

·      Estágio III

  • Tecido conectivo endurecido, fibroesclerose
  • Edema presente e consistente
  • Grandes áreas e massas de pele e gordura que se sobrepõe
  • Menos responsivo a algumas modalidades de tratamento

·      Estágio IV

  • Fibroesclerose, possivelmente elefantíase
  • Edema consistente presente
  • Grandes áreas e massas de pele e gordura que se sobrepõe
  • Tambem conhecido como Lipo-linfedema
  • Menos responsivo a algumas modalidades de tratamento

Grupo de suporte no Facebook

 

Diagnóstico diferencial

 

Doença

Lipedema

Linfedema

Obesidade

Lipo-linfedema

Insuficiencia Venosa

Característica

Depositos de gordura, edema em pernas e braços, mas não em mãos e pés

Depósitos de gordura, edema em um membro incluindo pés e mãos

Deposito de gordura generalizado

Depósito de gordura, edema generalizado em pernas, braços e torso

Edema próximo do tornozelo, dermatite ocre, pouco edema

Sexo

F

M/F

M/F

F

M/F

Quando inicia

Durante mudanças hormonais (puberdade, gravidez, menopausa)

Após cirurgia que aferta o sistema linfático ou ao nascimento

Qualquer idade

Durante mudanças hormonais

Em torno do inicio da obesidade, diabetes, gravidez, hipertensão

Associação com dieta

Dieta com restrição calórica inefetiva

Dieta com restrição calórica inefetiva

Dieta e perda de peso são efetivas

Dieta com restrição calórica inefetiva

Sem relação com a ingestão calórica

Edema/Inchaço

Edema não depressível

Edema depressível

Sem edema

Muito edema, um pouco depressível, alguma fibrose

Frequentemente edema, mas também pode ocorrer sem edema nos estágios iniciais

Sinal típico no exame físico

Sinal de Stemmer negativo

Sinal de Stemmer positivo

Sinal de Stemmer negativo

Sinal de Stemmer negativo ou positivo

 

Dor?

Provavelmente dor nas áreas afetadas

Sem dor inicialmente

Sem dor

Dor em áreas afetadas

Provavelmente dor

Frequencia na população

Melhor estimativa é de 11% das mulheres adultas

Baixa

>30% dos norte americanos

Desconhecido

30% dos norte americanos

Celulite/Erisipela

Sem história de celulite

História possível de celulite ou erisipela

 

Provavelmente história de celulite

Frequente coceira e manchas na pelo confundidas com celulite

Genética/Hereditariedade

Provavelmente história famíliar

História familiar não provável a não ser que seja linfedema familiar

Provavelmente história famíliar

Provavelmente história famíliar de lipedema

Provavelmente história famíliar

 

Diferenciação entre lipedema e linfedema

Para se aprofundar na explanação do lipedema, é necessário comparar com o linfedema. Linfedema é frequentemente assimétrico e pode ser adquirido (secundário a cirurgia, trauma, infecção que danifica o sistema linfático) ou congênito (mudanças hereditárias o sistema linfático). A medida que o edema continua e se espalha das extremidades inferiores para outras partes do corpo, o edema é provavelmente causado pelo fluxo linfático lento e mudanças da estrutura linfática causada pela pressão no membro lipedematoso. Isso é conhecido como lipo-linfedema. Lipo-linfedema também pode ocorrer concomitantemente com insuficiência venosa crônica e outras doenças vasculares.

 

Diagnóstico

Atualmente, a melhor maneira de diagnosticas lipedema é com o exame físico e anamnese feitas por médico treinado. Alguns médicos estão familiarizados com a distinção entre lipedema, linfedema e obesidade. Após a palpação da gordura o médico pode sentir nódulos. Com o avanço da doença, os nódulos podem aumentar de tamanho e de número e podem formar sequencias de nódulos. Comunicação entre pacientes e médicos deve ser estimulada.

O teste sanguíneo definitivo para diagnostico de lipedema não existe, entretanto alguns médicos recomendam tratar doenças concomitantes que costumam agravar o quadro e sintomas do lipedema. Os testes são: dosagem hormonal tireoideana, marcadores inflamatórios, dosagem de vitamina B e D. Em alguns estágios da doença, pode ser possível ver evidência do lipedema ou lipo-linfedema pelo ultrassom Ressonância Magnética, linfografia e/ ou linfocintilografia. Entretanto, deve haver muito cuidado devido ao falso resultado NORMAL nas fases iniciais do lipedema. Algumas ferramentas diagnósticas podem ajudar o médico a definir o protocolo de tratamento.

Schmeller distingue lipedema de lipohipertrofia que pode se apresentar com forma corporal semelhante, mas sem edema ou dor. Ele postula que essa condição pode levar a outra e que pessoas podem mover de um estado a outro. Mais pesquisa se faz necessária para determinar se lipedema e lipohipertrofia são a mesma condição ou se são diferentes uma da outra.

 

Tratamento

Embora o lipedema tenha sido diagnosticado e identificado inicialmente na Mayo Clinic em 1940, a maioria dos médicos não está familiarizado com a doença. Não há cura identificada no momento para o lipedema, entretanto a detecção precoce e o tratamento pode reduzir os danos progressivos ao paciente. Mudanças precoces de peso e dieta com nutrição e exercício podem ajudar a reduzir a gordura não  lipedemica e reduzir a inflamação. Dessa forma pode prevenir o aumento da parte inferior do corpo, que seria pior se o paciente também fosse obeso. Entretanto, mesmo com dieta rígida e regime de exercícios a doença também pode progredir e tratamentos futuros podem ser necessários.

Embora não haja tratamento comprovadamente efetivo para o lipedema, o edema pode ser controlado com a compressão, certos medicamentos, drenagem linfática manual e terapia de descongestão completa. A compressão pode ajudar no retorno linfático, mas dificilmente é tolerado pela dor que os pacientes apresentam, por isso é necessário o tratamento com médico especializado também na escolha da melhor compressão.

Lipoaspiração no tratamento do lipedema iniciou em 1980 e esta ficando cada vez mais comum. Embora tenha ajudado muitos pacientes quando feito por cirurgião treinado e consciente do lipedema, poucos médicos tem o conhecimento necessário, sendo um tratamento frequente na Europa, mas nem tanto nos Estados Unidos. Entre as técnicas de tratamento disponíveis, nem todas são adequadas para todos pacientes. A Lipoasiração assistida a agua (WAL – Water Assisted Liposuction) e a Lipoaspiração por tumescência (TLA – Tumescent Liposuction) são dois procedimentos realizados rotineiramente na Alemanha, Países Baixos, Inglaterra e Austria para pacientes com lipedema. Recomenda-se que os pacientes busquem informação aprofundada sobre as técnicas e os médicos antes da realização de qualquer procedimento.

Lipedema é acompanhada as vezes de outras doenças, que podem agravar a saúde do paciente. Doenças articulares, venosas, linfedema, obesidade, transtornos psicossociais são vistos frequentemente em pacientes com lipedema. Medicamentos para controle da dor, ansiedade e depressão são comuns nesta população, por isso recomenda-se associação a grupos de suporte. Cirurgia bariátrica não reduz a gordura lipedemica, embora possa ajudar a tratar as co-morbidades que acompanham.

 

Pesquisas atuais

Embora seja uma doença reconhecida, tratada e pesquisada na Europa, é pouco pesquisada nos Estados Unidos. Entretanto um aumento no reconhecimento do lipedema como condição médica é visto também na literatura médica. O interesse sobre lipedema tem aumentado nos anos. Dado que 11% da população adulta feminina pode sofrer desta doença, é vital que mais pesquisas sem feitas.

O lipedema é classificado no CID-10 como E882 (lipomatose)

 

Sinônimos
  • Lipalgia
  • Lipofilia Membralis
  • Adipose dolorosa
  • Adiposalgia
  • Lipohipertrofia dolorosa
  • Lipedema
  • Lipödem
  • Lipoedema

 

Bibliografia

1)  Chen, S. G., Hsu, S. D., Chen, T. M., Wang, H. J. Painful fat syndrome in a male patient. Br J Plast Surg 2004; 57(3):282-286 2)  http://www.tillysmidt.nl/LIPEDEMA%20%20Englisch%20for%20Lipoedeem.htm,  3)  Todd, Marie, Lipoedema: presentation and management. Chronic Oedema, 2010; 10-16 4)  Schmeller W, Meier-Vollrath I, Chapter 7 Lipedema, http://www.hanse-klinik.com/englisch/Lipoedema.pdf  5)  Allen E V, Hines E A, Lipoedema of the legs. A syndrome characterized by fat legs and edema. Proc Staff. Meet. Mayo Clinic 1940; 15:184  6)  C to provide 7)  Fife CE, Maus EA, Carter MJ, 2010 Lipedema: A Frequently Misdiagnoed and Misunderstood Fatty Deposition Syndrome. ADV SKIN WOUND CARE 2010;23:81-92; quiz 93-4. reported "However, in an unpublished epidemiological study conducted in 2001, Foeldi and Foeldi [28] claimed that lipedema is present in 11% of the female population". [28] corresponds to "Foeldi E, Foeldi M. Lipedema. In: Foeldi M, Foeldi E, eds. Foeldi’s Textbook of Lymphology. 2nd ed. Munich, Germany: Elsevier; 2006:417-27. 8) Trayes KP, Studdiford JS, Pickle S, Tully AS  “Edema: Diagnosis and Management” Am Fam Physican 2013:88(2):102-110 http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23939641  9) Herbst, Karen L “Rare adipose disorders (RADs) masquerading as obesity” Acta Pharmacol Sin. 2012 Feb;33(2):155-72. doi: 10.1038/aps.2011.153. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22301856  10) van der Krabben, Tatjana "Lipedema got a ICD-10 code!" http://blog.lipese.com/2016/12/lipedema-got-icd-10-code.html?utm_source=... 11) Lipedema / Lipoedema / Lipödem http://fatdisorders.org/fat-disorders/lipedema-lipoedema-descriptionTags: linfáticalinfáticoedemalipedema Select ratingGive Lipedema 1/5Give Lipedema 2/5Give Lipedema 3/5Give Lipedema 4/5Give Lipedema 5/5 Average: 5 (6 votes)
Categorias: Medicina

Prêmio 2018

Neurocirurgia - sex, 11/02/2018 - 20:55

Menção Honrosa pelo trabalho apresentado em ENDOSCOPIA DE COLUNA no XXXII Congresso Brasileiro de Neurocirurgia.

 

Categorias: Medicina

Causas de formigamento

Vascular Pro - qua, 10/10/2018 - 16:39

Combinação de sensações anormais: dormência, ferroada, formigamento
Causas:
 

  • Acidente vascular cerebral
  • Meralgia parestésica
  • Artrite
  • Diabete melito
  • Doença de Büerger
  • Doença de Raynaud
  • Doenças convulsivas
  • Enxaqueca
  • Episódio isquêmico transitório
  • Esclerose múltipla
  • Hérnia de disco
  • Herpes Zoster
  • Lesão na medula espinhal
  • Lúpus eritematoso sistêmico
  • Neuropatia periférica
  • Oclusão arterial aguda
  • Raiva
  • Síndrome de Guillain-Barré
  • Síndrome de hiperventilação
  • Tabes dorsalis
  • Trauma craniano
  • Traumatismo em nervo periférico
  • Tumor cerebral
  • Tumores da medula espinhal
  • Drogas
  • Radioterapia
Tags: parestesiasintomasformigamento Select ratingGive Causas de formigamento 1/5Give Causas de formigamento 2/5Give Causas de formigamento 3/5Give Causas de formigamento 4/5Give Causas de formigamento 5/5 Sem avaliações
Categorias: Medicina

Causas de formigamento

Vascular Pro - qua, 10/10/2018 - 16:39

Combinação de sensações anormais: dormência, ferroada, formigamento
Causas:
 

  • Acidente vascular cerebral
  • Meralgia parestésica
  • Artrite
  • Diabete melito
  • Doença de Büerger
  • Doença de Raynaud
  • Doenças convulsivas
  • Enxaqueca
  • Episódio isquêmico transitório
  • Esclerose múltipla
  • Hérnia de disco
  • Herpes Zoster
  • Lesão na medula espinhal
  • Lúpus eritematoso sistêmico
  • Neuropatia periférica
  • Oclusão arterial aguda
  • Raiva
  • Síndrome de Guillain-Barré
  • Síndrome de hiperventilação
  • Tabes dorsalis
  • Trauma craniano
  • Traumatismo em nervo periférico
  • Tumor cerebral
  • Tumores da medula espinhal
  • Drogas
  • Radioterapia
Tags: parestesiasintomasformigamento Select ratingGive Causas de formigamento 1/5Give Causas de formigamento 2/5Give Causas de formigamento 3/5Give Causas de formigamento 4/5Give Causas de formigamento 5/5 Sem avaliações
Categorias: Medicina

Causas de formigamento

Vascular Pro - qua, 10/10/2018 - 16:39

Combinação de sensações anormais: dormência, ferroada, formigamento
Causas:
 

  • Acidente vascular cerebral
  • Meralgia parestésica
  • Artrite
  • Diabete melito
  • Doença de Büerger
  • Doença de Raynaud
  • Doenças convulsivas
  • Enxaqueca
  • Episódio isquêmico transitório
  • Esclerose múltipla
  • Hérnia de disco
  • Herpes Zoster
  • Lesão na medula espinhal
  • Lúpus eritematoso sistêmico
  • Neuropatia periférica
  • Oclusão arterial aguda
  • Raiva
  • Síndrome de Guillain-Barré
  • Síndrome de hiperventilação
  • Tabes dorsalis
  • Trauma craniano
  • Traumatismo em nervo periférico
  • Tumor cerebral
  • Tumores da medula espinhal
  • Drogas
  • Radioterapia
Tags: parestesiasintomasformigamento Select ratingGive Causas de formigamento 1/5Give Causas de formigamento 2/5Give Causas de formigamento 3/5Give Causas de formigamento 4/5Give Causas de formigamento 5/5 No votes yet
Categorias: Medicina

Causas de Dor nas pernas

Vascular Pro - qua, 10/10/2018 - 16:31

Dor nas pernas pode significar muita coisa, desde lesão muscular, até doenças mais graves vasculares e neurológicas:
 

  • Dor nas pernas​
    • Arterial
    • Infecção
    • Neurológica
      • Ciática
      • claudicação Neurológica
      • neuropatia
      • Hérnia de disco
    • venoso
    • Linfático
      • Linfedema maligno
    • Outros órgãos e sistemas
      • Câncer ósseo
      • Lipedema
      • Fratura
      • Estiramento ou torção
      • Obesidade (sobrecarga)
      • Cãimbras
        • Alterações eletrolíticas
      • Fibromialgia
      • Lúpus
      • Fadiga crônica
      • Dor miofascial
    • Uso de medicamentos ou drogas
      • Estatinas
    • Por localização
      • Dor no tornozelo
        • Artrite
        • Contratura do tendão de Aquiles
        • Deslocamento
        • Fratura
        • Tenossinovite
        • Torção
      • Dor no quadril
        • Artrite
        • Bursite
        • Deslocamento
        • Fratura
        • Necrose avascular
        • Sépsis
        • Tumor
      • Dor no pé
        • Artrite
        • Calo ou calosidade
        • Dedo em martelo
        • Deslocamento
        • Doença de Köhler
        • Doença vascular oclusiva DAOP / Aterosclerose
        • Fasciite plantar
        • Fratura
        • Hálux rigido
        • Joanete
        • Neuroma de morton
        • Pé plano
        • Radiculopatia
        • Síndrome do túnel do tarso
        • Tabes dorsalis
        • Unha encravada
        • Verruga plantar
      • Dor no joelho
        • Artrite
        • Bursite
        • Cisto poplíteo
        • Condromalácia
        • Contusão
        • Deslocamento
        • Flebite
        • Fratura
        • Infecção
        • Lesão do menisco
        • Lesão do ligamento cruzado
        • Osteocondrite dissecante
        • radiculopatia
        • Ruptura do mecanismo extensor
        • Torção
      • Dor em coxa
        • Dor ardente em coxa, meralgia parestésica
Tags: dorsintomas Select ratingGive Causas de Dor nas pernas 1/5Give Causas de Dor nas pernas 2/5Give Causas de Dor nas pernas 3/5Give Causas de Dor nas pernas 4/5Give Causas de Dor nas pernas 5/5 Average: 5 (1 vote)
Categorias: Medicina

Causas de Dor nas pernas

Vascular Pro - qua, 10/10/2018 - 16:31

Dor nas pernas pode significar muita coisa, desde lesão muscular, até doenças mais graves vasculares e neurológicas:
 

  • Dor nas pernas​
    • Arterial
    • Infecção
    • Neurológica
      • Ciática
      • claudicação Neurológica
      • neuropatia
      • Hérnia de disco
    • venoso
    • Linfático
      • Linfedema maligno
    • Outros órgãos e sistemas
      • Câncer ósseo
      • Lipedema
      • Fratura
      • Estiramento ou torção
      • Obesidade (sobrecarga)
      • Cãimbras
        • Alterações eletrolíticas
      • Fibromialgia
      • Lúpus
      • Fadiga crônica
      • Dor miofascial
    • Uso de medicamentos ou drogas
      • Estatinas
    • Por localização
      • Dor no tornozelo
        • Artrite
        • Contratura do tendão de Aquiles
        • Deslocamento
        • Fratura
        • Tenossinovite
        • Torção
      • Dor no quadril
        • Artrite
        • Bursite
        • Deslocamento
        • Fratura
        • Necrose avascular
        • Sépsis
        • Tumor
      • Dor no pé
        • Artrite
        • Calo ou calosidade
        • Dedo em martelo
        • Deslocamento
        • Doença de Köhler
        • Doença vascular oclusiva DAOP / Aterosclerose
        • Fasciite plantar
        • Fratura
        • Hálux rigido
        • Joanete
        • Neuroma de morton
        • Pé plano
        • Radiculopatia
        • Síndrome do túnel do tarso
        • Tabes dorsalis
        • Unha encravada
        • Verruga plantar
      • Dor no joelho
        • Artrite
        • Bursite
        • Cisto poplíteo
        • Condromalácia
        • Contusão
        • Deslocamento
        • Flebite
        • Fratura
        • Infecção
        • Lesão do menisco
        • Lesão do ligamento cruzado
        • Osteocondrite dissecante
        • radiculopatia
        • Ruptura do mecanismo extensor
        • Torção
      • Dor em coxa
        • Dor ardente em coxa, meralgia parestésica
Tags: dorsintomas Select ratingGive Causas de Dor nas pernas 1/5Give Causas de Dor nas pernas 2/5Give Causas de Dor nas pernas 3/5Give Causas de Dor nas pernas 4/5Give Causas de Dor nas pernas 5/5 Average: 5 (1 vote)
Categorias: Medicina

Causas de Dor nas pernas

Vascular Pro - qua, 10/10/2018 - 16:31

Dor nas pernas pode significar muita coisa, desde lesão muscular, até doenças mais graves vasculares e neurológicas:
 

  • Dor nas pernas​
    • Arterial
    • Infecção
    • Neurológica
      • Ciática
      • claudicação Neurológica
      • neuropatia
      • Hérnia de disco
    • venoso
    • Linfático
      • Linfedema maligno
    • Outros órgãos e sistemas
      • Câncer ósseo
      • Lipedema
      • Fratura
      • Estiramento ou torção
      • Obesidade (sobrecarga)
      • Cãimbras
        • Alterações eletrolíticas
      • Fibromialgia
      • Lúpus
      • Fadiga crônica
      • Dor miofascial
    • Uso de medicamentos ou drogas
      • Estatinas
    • Por localização
      • Dor no tornozelo
        • Artrite
        • Contratura do tendão de Aquiles
        • Deslocamento
        • Fratura
        • Tenossinovite
        • Torção
      • Dor no quadril
        • Artrite
        • Bursite
        • Deslocamento
        • Fratura
        • Necrose avascular
        • Sépsis
        • Tumor
      • Dor no pé
        • Artrite
        • Calo ou calosidade
        • Dedo em martelo
        • Deslocamento
        • Doença de Köhler
        • Doença vascular oclusiva DAOP / Aterosclerose
        • Fasciite plantar
        • Fratura
        • Hálux rigido
        • Joanete
        • Neuroma de morton
        • Pé plano
        • Radiculopatia
        • Síndrome do túnel do tarso
        • Tabes dorsalis
        • Unha encravada
        • Verruga plantar
      • Dor no joelho
        • Artrite
        • Bursite
        • Cisto poplíteo
        • Condromalácia
        • Contusão
        • Deslocamento
        • Flebite
        • Fratura
        • Infecção
        • Lesão do menisco
        • Lesão do ligamento cruzado
        • Osteocondrite dissecante
        • radiculopatia
        • Ruptura do mecanismo extensor
        • Torção
      • Dor em coxa
        • Dor ardente em coxa, meralgia parestésica
Tags: dorsintomas Select ratingGive Causas de Dor nas pernas 1/5Give Causas de Dor nas pernas 2/5Give Causas de Dor nas pernas 3/5Give Causas de Dor nas pernas 4/5Give Causas de Dor nas pernas 5/5 No votes yet
Categorias: Medicina

Vasinhos e varizes

Vascular Pro - qui, 10/04/2018 - 16:17

O que são vazinhos?
 

  • São capilares da pele que se dilatam
  • Tem cor avermelhada ou arroxeada
  • Sua espessura é a de um fio de cabelo
  • Podem aparecer em diferentes locais do corpo, como rosto, colo, seio, abdômem, costas, pernas e pés.
  • Não causam danos à saúde e geralmente não há cor,
  • Veja mais sobre teleangiectasias e vasinhos aqui

 
O que são varizes?
 

  • São veias superficiais que ficam grossas e deformadas
  • Tem cor roxo-azulada ou esverdeada
  • Surgem ao longo das pernas e dos pés
  • As que mais causam problemas são as safenas (são duas em cada perna)
  • Podem causar dor, inchaço, feridas e trombose (coágulo sanguíneo)
  • veja mais sobre varizes aqui

 
Fatores de risco

  • Genética
  • Ficar muito tempo em pé ou sentado
  • Sobrepeso
  • Gravidez
  • Anticoncepcionais apenas no caso das varizes

 
 
 

Tags: vascularvasinhosvarizesvenoso Select ratingGive Vasinhos e varizes 1/5Give Vasinhos e varizes 2/5Give Vasinhos e varizes 3/5Give Vasinhos e varizes 4/5Give Vasinhos e varizes 5/5 Average: 5 (1 vote)
Categorias: Medicina

Vasinhos e varizes

Vascular Pro - qui, 10/04/2018 - 16:17

O que são vazinhos?
 

  • São capilares da pele que se dilatam
  • Tem cor avermelhada ou arroxeada
  • Sua espessura é a de um fio de cabelo
  • Podem aparecer em diferentes locais do corpo, como rosto, colo, seio, abdômem, costas, pernas e pés.
  • Não causam danos à saúde e geralmente não há cor,
  • Veja mais sobre teleangiectasias e vasinhos aqui

 
O que são varizes?
 

  • São veias superficiais que ficam grossas e deformadas
  • Tem cor roxo-azulada ou esverdeada
  • Surgem ao longo das pernas e dos pés
  • As que mais causam problemas são as safenas (são duas em cada perna)
  • Podem causar dor, inchaço, feridas e trombose (coágulo sanguíneo)
  • veja mais sobre varizes aqui

 
Fatores de risco

  • Genética
  • Ficar muito tempo em pé ou sentado
  • Sobrepeso
  • Gravidez
  • Anticoncepcionais apenas no caso das varizes

 
 
 

Tags: vascularvasinhosvarizesvenoso Select ratingGive Vasinhos e varizes 1/5Give Vasinhos e varizes 2/5Give Vasinhos e varizes 3/5Give Vasinhos e varizes 4/5Give Vasinhos e varizes 5/5 Sem avaliações
Categorias: Medicina

Vasinhos e varizes

Vascular Pro - qui, 10/04/2018 - 16:17

O que são vazinhos?
 

  • São capilares da pele que se dilatam
  • Tem cor avermelhada ou arroxeada
  • Sua espessura é a de um fio de cabelo
  • Podem aparecer em diferentes locais do corpo, como rosto, colo, seio, abdômem, costas, pernas e pés.
  • Não causam danos à saúde e geralmente não há cor,
  • Veja mais sobre teleangiectasias e vasinhos aqui

 
O que são varizes?
 

  • São veias superficiais que ficam grossas e deformadas
  • Tem cor roxo-azulada ou esverdeada
  • Surgem ao longo das pernas e dos pés
  • As que mais causam problemas são as safenas (são duas em cada perna)
  • Podem causar dor, inchaço, feridas e trombose (coágulo sanguíneo)
  • veja mais sobre varizes aqui

 
Fatores de risco

  • Genética
  • Ficar muito tempo em pé ou sentado
  • Sobrepeso
  • Gravidez
  • Anticoncepcionais apenas no caso das varizes

 
 
 

Tags: vascularvasinhosvarizesvenoso Select ratingGive Vasinhos e varizes 1/5Give Vasinhos e varizes 2/5Give Vasinhos e varizes 3/5Give Vasinhos e varizes 4/5Give Vasinhos e varizes 5/5 No votes yet
Categorias: Medicina

Doação de óvulos

Fertilidade - qui, 10/04/2018 - 15:55
Doação de óvulos

Algumas mulheres não podem produzir óvulos, geralmente porque seus ovários não estão funcionando ou foram removidos. Se você está nessa situação, você pode desejar considerar receber doação de óvulos – ou seja, usar óvulos de outra mulher – para engravidar.

Você deve ser indicada para essa opção se:

  • seus ovários pararam de funcionar mais cedo, ou após a quimioterapia ou radioterapia ou
  • você tem uma anormalidade no cromossomo, como síndrome de Turner ou
  • seus ovários foram removidos.

Também pode ser indicado esta opção se você não teve sucesso com a FIV ou se há um alto risco de transmitir uma doença genética para seus filhos.

Se está considerando receber doação de óvulos, o especialista em reprodução humana vai aconselhar sobre o que o tratamento vai significar para você, para as crianças que você já tem, e para todas as crianças que você pode ter como resultado do tratamento.

Doando seus óvulos

Se você está considerando doar seus óvulos, seu médico deve oferecer à você informações sobre os riscos associados com a estimulação ovariana e a coleta de óvulos. Todos as doadoras de óvulos em potencial devem conversar com médico responsável para ajudá-las a pensar sobre as implicações da doação para si, seus próprios filhos e quaisquer crianças que possam ter como resultado da doação.

Ocasionalmente, uma mulher em tratamento de fertilidade pode optar por doar alguns dos seus óvulos em troca de um benefício, como a FIV com desconto. Seus óvulos são então doados para uma mulher que é incapaz de produzir seus próprios óvulos. Isso às vezes é chamado de "partilha de óvulos". Qualquer pessoa que esteja considerando tomar parte em tal procedimento deve ser indicada à oportunidade de ver um conselheiro independente para falar sobre o que isso significará para elas.

tratamentodoaçãoO que você achou deste conteúdo?:  0 No votes yet
Categorias: Medicina

Qual a relação entre obesidade e infertilidade?

Fertilidade - qui, 09/27/2018 - 16:31

Perder peso para engravidar

A obesidade é medida na prática com uma conta que usa o valor do peso e da altura. Essa conta representa um índice chamado índice de massa corporal ou IMC, de modo que quanto mais alto o índice mais acima do peso ideal a pessoa está. Esse excesso de peso já está associado aos mais diversos problemas de saúde, sendo considerado, por si só, uma condição que merece tratamento. Inúmeras pesquisas são feitas atualmente para compreender qual a relação entre a obesidade e a infertilidade. Será que, como a maioria dos aspectos da saúde humana, a capacidade reprodutiva também é negativamente influenciada por ela?
Um estudo* recentemente publicado na revista “Obstetrics and Gynecology Clinics of North America” procurou compreender melhor essa possível associação. Nele foi explicado que o tecido adiposo produz substâncias chamadas adipocinas, que influenciam a boa comunicação entre as células do corpo. Com essa comunicação dificultada, fica mais complicado executar corretamente as suas funções; essa influência pode inclusive ser exercida sobre as regiões do cérebro responsáveis pelo controle do ciclo ovulatório.
O tecido adiposo em excesso é considerado tóxico para o organismo porque também permite que a gordura seja estocada em diferentes células e tecidos, inclusive nos óvulos, afetando a sua qualidade.
O ciclo menstrual irregular, que pode estar presente em mulheres obesas, reflete o controle desregulado do organismo sobre a ovulação, mas parece que mesmo aquelas com o ciclo regular demoram mais para conseguir engravidar, assim como as chances de abortamento nessas mulheres também parecem ser maiores.
O aconselhamento por médico especialista antes da gravidez é muito importante para orientar a paciente obesa em relação a maneiras de como promover a sua capacidade reprodutiva, inclusive para aquelas que irão se submeter a tratamentos para infertilidade. Embora a perda de peso melhore de modo geral a função dos ovários e o desfecho da gravidez, o tratamento dessas pacientes deve ser individualizado, isto é, “cada caso é um caso”.

 

Veja também: Lipedema

*Obstet Gynecol Clin N Am 39 (2012) 479–493

Fonte: Amato, JLS. Em Busca Da Fertilidade. 2014

obesidadetratamentoO que você achou deste conteúdo?:  5 Average: 5 (1 vote)
Categorias: Medicina

Aorta e aneurisma

Vascular Pro - qua, 09/19/2018 - 11:41

A Aorta é a maior artéria do organismo e transporta o sangue do coração para o resto do corpo
 
O que é um Aneurisma?
Os aneurismas são definidos como uma dilatação localizada e permanente de uma artéria e resultam do enfraquecimento da parede dessa artéria.
O Aneurisma da Aorta Abdominal (AAA)
O Aneurisma da Aorta Abdominal é o mais frequente dos aneurismas arteriais, sendo uma das causas de morte súbita. Essa doença afeta mais de 700 mil pessoal, na Europa, e é a 12ª causa de morte.
Aneurismas da Aorta
É uma doença grave e silenciosa
A ruptura de um aneurisma é quase sempre fatal.
Menos de 50% dos casos de ruptura chegam vivos ao hospital.
Se tiver um dos seguintes fatores de risco, informe-se junto ao seu médico:

 

Tags: aneurismaarterialvascular Select ratingGive Aorta e aneurisma 1/5Give Aorta e aneurisma 2/5Give Aorta e aneurisma 3/5Give Aorta e aneurisma 4/5Give Aorta e aneurisma 5/5 Average: 5 (1 vote)
Categorias: Medicina

Aorta e aneurisma

Vascular Pro - qua, 09/19/2018 - 11:41

A Aorta é a maior artéria do organismo e transporta o sangue do coração para o resto do corpo
 
O que é um Aneurisma?
Os aneurismas são definidos como uma dilatação localizada e permanente de uma artéria e resultam do enfraquecimento da parede dessa artéria.
O Aneurisma da Aorta Abdominal (AAA)
O Aneurisma da Aorta Abdominal é o mais frequente dos aneurismas arteriais, sendo uma das causas de morte súbita. Essa doença afeta mais de 700 mil pessoal, na Europa, e é a 12ª causa de morte.
Aneurismas da Aorta
É uma doença grave e silenciosa
A ruptura de um aneurisma é quase sempre fatal.
Menos de 50% dos casos de ruptura chegam vivos ao hospital.
Se tiver um dos seguintes fatores de risco, informe-se junto ao seu médico:

 

Tags: aneurismaarterialvascular Select ratingGive Aorta e aneurisma 1/5Give Aorta e aneurisma 2/5Give Aorta e aneurisma 3/5Give Aorta e aneurisma 4/5Give Aorta e aneurisma 5/5 Average: 5 (1 vote)
Categorias: Medicina

Aorta e aneurisma

Vascular Pro - qua, 09/19/2018 - 11:41

A Aorta é a maior artéria do organismo e transporta o sangue do coração para o resto do corpo
 
O que é um Aneurisma?
Os aneurismas são definidos como uma dilatação localizada e permanente de uma artéria e resultam do enfraquecimento da parede dessa artéria.
O Aneurisma da Aorta Abdominal (AAA)
O Aneurisma da Aorta Abdominal é o mais frequente dos aneurismas arteriais, sendo uma das causas de morte súbita. Essa doença afeta mais de 700 mil pessoal, na Europa, e é a 12ª causa de morte.
Aneurismas da Aorta
É uma doença grave e silenciosa
A ruptura de um aneurisma é quase sempre fatal.
Menos de 50% dos casos de ruptura chegam vivos ao hospital.
Se tiver um dos seguintes fatores de risco, informe-se junto ao seu médico:

 

Tags: aneurismaarterialvascular Select ratingGive Aorta e aneurisma 1/5Give Aorta e aneurisma 2/5Give Aorta e aneurisma 3/5Give Aorta e aneurisma 4/5Give Aorta e aneurisma 5/5 Average: 5 (1 vote)
Categorias: Medicina

Inseminação de Doador

Fertilidade - qua, 09/19/2018 - 11:02
Inseminação

de doador

Isso envolve usar sêmen doado por outro homem. Como um casal, vocês podem decidir considerar inseminação de doador como uma alternativa para a injeção intracitoplasmática de espermatozoides (ICSI). Seu médico deve oferecer ambas as opções e explicar as vantagens e desvantagens de cada um. Sêmen doado pode ser usado para FIV se necessário.

Você pode ser indicado à inseminação de doador, se:

  • Há poucos espermatozoides no seu sêmen ou eles são de baixa qualidade e você decidiu fazer ao invés de realizar a ICSI ou
  • Você não tem espermatozoides no seu sêmen.

Você também pode ser indicado para inseminação de doador se tiver doença genética que poderia ser transmitida à criança, uma doença infecciosa que poderia ser transmitida à mulher ou à criança, ou se você e os grupos sanguíneos da sua parceira não são compatíveis.

Se você está considerando a inseminação de doador deve ser encaminhado para aconselhamento sobre as implicações para você e para as crianças que você puder ter. Todos os potenciais doadores de sêmen também devem ser indicados para aconselhamento independente para ajudá-los a pensar sobre as implicações da doação para si, seus próprios filhos e quaisquer crianças que possam ter como resultado da doação de sêmen.

Para as mulheres, antes de iniciar o tratamento com a inseminação do doador deve ser oferecido testes para confirmar que você está ovulando. Deve ser indicado exames para verificar suas trompas de falópio se houver algo no seu histórico médico que sugira que elas possam estar danificadas.

Se você estiver ovulando regularmente, deve ser indicada pelo menos 6 ciclos de inseminação de doador. Para reduzir o risco de gravidez múltipla pode ser indicada para uma inseminação 'não estimulada', que significa que você não receberá medicamentos de fertilidade para estimular seus ovários durante o tratamento. Você deve fazer inseminação intra-uterina em vez de inseminação intra-cervical porque isso pode dar uma chance maior de engravidar.

Se você não tiver engravidado após 3 ciclos de inseminação de doador, pode ser indicado exames para verificar suas trompas de falópio, se estes não tiverem sido feitos antes.

tratamentoinseminaçãoinseminação vitroO que você achou deste conteúdo?:  0 No votes yet
Categorias: Medicina

HIV e gestação

Fertilidade - qua, 09/19/2018 - 11:02
HIV na gestação

como lidar

Esta informação é para você que foi diagnosticada com HIV (vírus de imunodeficiência humana) e está grávida ou planejando ter um bebê. Se você é um parceiro, parente ou amigo de alguém que está nesta situação, pode também ser útil. (Veja HIV no tratamento da infertilidade e reprodução humana)

Aqui você verá:

  • o que o HIV pode significar para você e seu bebê
  • quais são as maneiras mais eficazes de:
    • proteger o seu bebê no útero, durante o parto e nas primeiras semanas de vida
    • tratar-se durante a gravidez e trabalho de parto
  •  sobre o planejamento para a gravidez.

O que é HIV e o que isso pode significar para o meu bebê?

O HIV é um tipo de vírus chamado de retrovírus que impede o sistema imunológico do corpo de funcionar corretamente e dificulta a luta contra infecções. Se você tem o vírus, isso é reportado como sendo HIV positivo. O vírus pode ser transmitido de uma pessoa para outra através da troca de fluidos corporais, incluindo sangue, sêmen, fluídos vaginais e leite materno. Você pode passar o vírus para seu bebê através da placenta durante a gravidez, durante o nascimento e através do seu leite materno. O cuidado que você receberá visa reduzir o risco de transmitir o HIV para seu bebê. 

Que extras no pré-natal posso esperar se eu sou HIV positiva?

Cuidados especializados e verificações regulares de saúde devem ser realizados. Você deve ser cuidada por uma equipe de especialistas que inclui:

  • médico que se especializa em HIV, o infectologista
  • obstetra (médico especializado no tratamento de mulheres grávidas)
  • pediatra (médico especializado na saúde da criança).

Você e seu bebê deverão ser monitorados durante a gravidez, e isto pode incluir exames de ultra-som extras.

A quantidade de vírus (carga viral) e anticorpos para HIV (CD4) em seu sangue será monitorada, assim como serão os níveis de drogas se você estiver em tratamento.

Infecção e vacinação

Se você é HIV positiva, é importante saber se você é imune a certas infecções. Como outras mulheres grávidas, você será recomendada a fazer exames no início da gravidez para hepatite B, rubéola e sífilis. No entanto, você também será indicada a exames para hepatite C, varicela-zoster/catapora, sarampo e toxoplasmose.

Mulheres grávidas são indicadas para a vacina contra coqueluche. Você também será recomendada a ter vacinação para hepatite B (se você não está imune), para vacina da gripe e pneumococo (nos meses de Outono/Inverno). Estas são seguras na gravidez.

As vacinas para a varicela, sarampo, caxumba e rubéola não são seguras na gravidez e, portanto, serão oferecidas após o nascimento do seu bebê, se você não está imune.

Se você estiver recebendo tratamento para o HIV para a sua própria saúde, você pode ser recomendada a tomar antibióticos para reduzir as chances de desenvolver uma pneumonia.

Você deve ser indicada a usar um cotonete para infecções vaginais logo cedo na gravidez e depois novamente em torno de 28 semanas de sua gravidez. Se o cotonete mostrar infecção, deve ser oferecido tratamento para reduzir o risco de passar o HIV para seu bebê.

Síndrome de Down

Todas as mulheres são indicadas para um exame de triagem para a síndrome de Down. Se seu exame mostra que está em risco aumentado de ter um bebê com síndrome de Down, você será encaminhada para uma unidade de medicina fetal para discutir suas opções adicionais. Há um risco de que os testes possam transferir HIV para seu bebê. Isto será discutido com você totalmente.

Diabetes gestacional

Se estiver tomando certos medicamentos para o HIV no início da gravidez, você pode ser aconselhada a fazer um exame para diabetes gestacional (diabetes que é diagnosticada pela primeira vez na gravidez) entre 24 e 28 semanas. 

Posso reduzir a chance de passar o HIV para meu bebê?

Sim. Você pode reduzir significativamente o risco de passar HIV para seu bebê se você:

  • tiver tratando com drogas anti-retrovirais (veja abaixo)
  • evitar o aleitamento materno e optar por alimentar seu bebê com leite em fórmula
  • tiver uma cesariana, se sua equipe especializada recomendar.

Devo ter tratamento anti-retroviral na gravidez?

Sim. As drogas usadas para tratar a infecção pelo HIV são conhecidas como anti-retrovirais. Às vezes três ou mais tipos são usados juntos, o que é conhecido como terapia anti-retroviral altamente ativa (HAART). Seus médicos lhe oferecerão anti-retrovirais durante a gravidez e no nascimento de seu bebê (se já não estiver a tomá-los), para ajudar a reduzir a chance de passar o vírus para seu bebê. O tratamento anti-retroviral também pode ser benéfico para a sua saúde.

Se você não tiver tratamento anti-retroviral, há um risco muito maior de que você vá passar o vírus para seu bebê.

Tratamento anti-retroviral é seguro na gravidez?

Para você

Medicamentos anti-retrovirais são geralmente seguros, mas eles às vezes podem ter efeitos colaterais, incluindo problemas de estômago e digestivos, diabetes, erupções cutâneas, cansaço extremo, alta temperatura e falta de ar. É importante que informe o seu médico se você experimentar qualquer sintoma incomum enquanto estiver grávida.

Retrovirais às vezes também podem causar problemas hepáticos. Se você iniciou o HAART na gravidez, você deve fazer regularmente exames de sangue para verificar se seu fígado está funcionando normalmente. Algumas drogas podem reduzir os níveis de ferro no sangue (anemia) e você pode ser aconselhada a ter suplementos de ferro.

Você fica mais propensa a entrar em trabalho de parto mais cedo, se estiver tomando o HAART.

Para seu bebê

O tratamento anti-retroviral em si não parece ser prejudicial para os bebês. Não tomar a medicação é muito mais provável que seja prejudicial para seu bebê, porque o risco de transmitir o HIV para seu bebê será muito maior.

Que tratamento anti-retroviral devo fazer?

Você será recomendada a tomar os medicamentos, considerados o melhores para você. Também será informado quando deve começar e parar de tomá-los. 

Você já está tomando anti-retrovirais

Seus médicos recomendarão que você tome HAART durante a gravidez e depois de ter tido seu bebê. Se você esta tomado antes da gravidez, você não deve parar a medicação.

Você não está tomando anti-retrovirais

Deve ser indicado o tratamento para parar de passar o vírus para seu bebê. O tratamento usual é o HAART, conforme descrito acima. O tratamento com uma única droga anti-retroviral (zidovudina) pode considerar-se se sua carga viral for inferior a 10000, sua contagem de CD4 é de mais de 350 e se estiver preparada para ter uma cesariana.

Seu médico geralmente irá recomendar que você comece o tratamento entre 14 e 24 semanas de gravidez e continue até seu bebê nascer.

Qual é a melhor maneira de dar a luz ao meu bebê?

Sua equipe irá discutir com você a melhor maneira de dar à luz. O tratamento que você está tomando, sua carga viral e CD4 contam com 36 semanas e as gestações anteriores serão levadas em conta.

  • Você deve ser capaz de ter um parto vaginal, mesmo se você teve uma cesariana antes, se você estiver tomando o HAART, e tiver carga viral inferior a 50 e uma contagem de CD4 com mais de 350.
  • Se estiver tomando HAART e sua carga viral está entre 50 e 399, seus médicos podem recomendar uma cesariana, geralmente com 38 semanas. Isso vai depender do padrão de sua carga viral, há quanto tempo você esteve em tratamento e seus desejos.
  • Será informada que é melhor uma cesariana, geralmente com 38 semanas, se:
    • estiver tomando o HAART e tem uma carga viral de 400 ou mais
    • estiver tomando zidovudina sozinha
    • o vírus da hepatite C for detectado em seu sangue.

Se os seus médicos aconselham cesariana planejada, mas você quer um parto vaginal, sua vontade pode ser respeitada. No entanto, como com todas as mulheres, se há preocupações sobre você e seu bebê durante o trabalho de parto, pode ser necessária uma cesariana de emergência.

Para qualquer método que você escolher, uma amostra de seu sangue deve ser tomada no momento do nascimento para verificar a quantidade de vírus em seu sangue.

O que acontece se eu tenho uma cesariana planejada?

Se você estiver tomando o HAART, deve continuar a tomar como recomendado pelo seu médico.

Deve ser prescrita a zidovudina através de um soro, que será iniciado algumas horas antes de sua cesariana. Isso deve continuar até que seu bebê nasça e o cordão umbilical tenha sido fixado.

Porque é provável que você tenha sua cesariana antes de 39 semanas, deve ser indicada a um curso de duas a quatro injeções de corticoide durante um período de 48 horas para diminuir a chance de problemas respiratórios para o seu bebê. V

Se suas contrações começarem antes da sua cesariana planejada, vá direto para o hospital. A cesariana será feita assim que possível. Ocasionalmente, o trabalho de parto pode estar muito avançado e pode ser mais seguro para você e seu bebê ter um parto vaginal.

O que acontece se eu tiver um parto vaginal planejado?

Você deve receber tratamento HAART durante todo seu trabalho de parto. Quanto antes a sua bolsa estourar durante o trabalho de parto, maior o risco de transmitir o HIV para seu bebê.

Deve ser prescrita para uma infusão de zidovudina se sua bolsa rompeu ou se há o conhecimento de que tem uma carga viral muito alta.

Se passar da sua data de nascimento programada e sua carga viral não puder ser detectada, é possível ter o trabalho de parto iniciado (induzido).

E se minha bolsa estourar mais cedo?

Depois de 37 semanas

  • Parto vaginal planejado

Se sua bolsa estourar antes de você ir para o trabalho de parto e sua carga viral está a menos de 50, pode ser possível induzir o trabalho de parto com um soro para começar as contrações. Isto será iniciado imediatamente.

  • Cesariana planejada

Se sua bolsa estourar antes de sua cesariana planejada, vá direto para o hospital.

A cesariana será feita logo que possível.

 

Antes de 37 semanas

Se sua bolsa estourar antes de iniciarem suas contrações, sua equipe irá avaliar se seria melhor para seu bebê nascer, em vez de esperar. Isso vai depender de quão longe você está em sua gravidez e seu risco individual de transmitir o HIV para o seu bebê. 

Qual tratamento o meu bebê vai precisar após o nascimento?

Seu bebê deve receber medicamentos anti-retrovirais dentro de 4 horas e este deve ser continuado até que ele ou ela esteja entre 4 e 6 semanas de idade.

Seu bebê será testado para o HIV nos primeiros 2 dias, na alta do hospital, com 6 semanas e com 12 semanas. Se estes exames derem negativo e você não estiver amamentando, seu bebê não tem HIV. Será feito mais um exame para confirmar quando seu bebê tiver 18 meses de idade.

Qual é a melhor maneira de alimentar meu bebê?

Você pode reduzir significativamente o risco de transmitir o HIV, se você não amamentar e não usar seu próprio leite materno. Este é o meio mais importante de reduzir o risco do seu bebê. Se você é HIV positiva, é mais seguro usar leite de fórmula.

Ninguém será informado sobre meu status de HIV?

Sua equipe de saúde precisa estar ciente de que você é HIV positiva, para que possam fornecer o melhor cuidado possível para você e seu bebê. Essa informação constará em seu prontuário médico, de acesso restrito.

Se você ainda não disse a seu parceiro sexual que você é HIV positiva, a equipe irá incentivar e apoiar você para fazê-lo, a fim de reduzir o risco de transmissão.

Eles não devem contar a ninguém sobre seu estado de HIV sem sua permissão. Devem respeitar o seu direito à confidencialidade e usar do cuidado e sensibilidade, onde poderiam ser divulgadas informações sobre você para o seu parceiro ou parentes.

A única exceção é se você está colocando seu parceiro em risco. Nestas circunstâncias, os profissionais de saúde podem dizer ao parceiro sexual sobre seu estado de HIV. Mas sua equipe de saúde deve discutir isso com você primeiro. Eles devem ponderar os riscos envolvidos para você (por exemplo, violência e/ou abuso) antes de decidirem o que fazer.

O que devo fazer se eu estou planejando ter um bebê?

  • Se você ou seu parceiro é HIV positivo, deve ser informada sobre as práticas de sexo mais seguras e o uso de preservativos para prevenir a transmissão do HIV.
  • Você deve ser encaminhada para aconselhamento pré-gestacional e para conselhos sobre opções de concepção com uma equipe, que deve incluir um especialista em fertilidade e um especialista em HIV.
  • Você será aconselhada a esperar até que sua carga viral esteja baixa e para garantir que qualquer infecção seja tratada.
  • Todas as mulheres são aconselhadas a tomar ácido fólico (400 microgramas diários) por 3 meses antes de ficarem grávidas. Se estiver a tomar cotrimoxazol, você será aconselhada a tomar a dose mais elevada de ácido fólico (5 mg por dia).
  • Se o parceiro masculino for HIV positivo:
    • o risco de transmitir o HIV para a mulher é quase zero se ele estiver tomando o HAART, teve uma carga viral de menos de 50 por pelo menos 6 meses e não tem outras infecções e tem relação desprotegida apenas na época fértil do ciclo da mulher; nesta situação, a lavagem de esperma não pode reduzir o risco de transmissão do HIV e pode realmente reduzir a probabilidade de engravidar
    • você pode desejar considerar a concepção assistida com lavagem de esperma ou o esperma de um doador, se há uma grande chance de transmissão do HIV.

Há mais alguma coisa que eu deva saber?

Se você é HIV positiva, você deve obter aconselhamento contraceptivo de uma equipe especializada depois de ter tido seu bebê.

Mulheres com infecção pelo HIV são recomendadas a fazer esfregaços cervicovaginais anuais (papanicolau).

HIVgestaçãoO que você achou deste conteúdo?:  0 No votes yet
Categorias: Medicina

Cirurgia de Varizes com Laser

Vascular Pro - qui, 09/13/2018 - 07:52
Cirurgia de Varizes com Laser

 

Com o avanço tecnológico, os procedimentos cirúrgicos tendem a se tornar cada vez mais seguros e menos invasivos. A cirurgia minimamente invasiva, feita por incisões cada vez menores, diminui a agressão ao organismo. Cirurgias antes realizadas sob anestesia geral, em que os pacientes eram abertos para a retirada de órgãos doentes, foram substituidas por técnicas que permitem o tratamento com o paciente acordado, ou apenas sedado.
O Laser vascular foi desenvolvido para termocoagular as células endoteliais da veia, causando fechamento do vaso doente. A lesão térmica causa trombose controlada do vaso e posteriormente ocorre sua reabsorção. Outro mecanismo de ação é a contração do colágeno por coagulação proteica, que ocorre por volta de 50˚C.
A lesão térmica e a contração do colágeno atuam juntamente para a destruição e reabsorção da veia, retirando-a de circulação e eliminando o problema venoso decorrente da insuficiência valvular e varizes.

A cirurgia de varizes a laser pode não ser adequada a todos os casos. Portanto consulte seu cirurgião vascular para saber mais a respeito.

Vantagens da a cirurgia de varizes a Laser:

  • menor trauma operatório,
  • melhor evolução, 
  • excelente eficácia (96%) a curto prazo,
  • procedimento mais rápido,
  • menor incidência de complicações,
  • menor gravidade das complicações, 
  • retorno às atividades em até 2 ou 3 dias 


Recomenda-se para um resultado mais duradouro a utilização do laser em associação à fleboextração de pequenos vasos (microcirurgia dos vazinhos) e/ou o CLaCS (criolaser com crioglicose):

Veja no vídeo abaixo o método de funcionamento do laser, que tem a propriedade de ser absorvido apenas pelo tecido e pigmento adequado:

Tire todas suas dúvidas sobre varizes aqui:

Aqui estamos falando da cirurgia com laser para tratar varizes, ou seja, do laser emitido por dentro da veia. As técnicas de escleroterapia, principalmente CLaCs utiliza o laser por fora da pele para tratar vasinhos e algumas varizes menores.

 

 

* não é leiser heim pessoal, e muito menos lazer (lazer é diversão)

(function() { var _fbq = window._fbq || (window._fbq = []); if (!_fbq.loaded) { var fbds = document.createElement('script'); fbds.async = true; fbds.src = '//connect.facebook.net/en_US/fbds.js'; var s = document.getElementsByTagName('script')[0]; s.parentNode.insertBefore(fbds, s); _fbq.loaded = true; } _fbq.push(['addPixelId', '617007545111529']); })(); window._fbq = window._fbq || []; window._fbq.push(['track', 'PixelInitialized', {}]); vasinhosvarizesvenosolaservazinhos Select ratingGive Cirurgia de Varizes com Laser 1/5Give Cirurgia de Varizes com Laser 2/5Give Cirurgia de Varizes com Laser 3/5Give Cirurgia de Varizes com Laser 4/5Give Cirurgia de Varizes com Laser 5/5 Average: 5 (1 vote)
Categorias: Medicina

Páginas

Subscrever Frases Fortes agregador

Não perca Frases do Einstein selecionadas a dedo.

Conhece alguma frase legal? Envie-nos.

Vote agora nas frases e citações que você mais gosta.